Jardim (quase) secreto

- O Estado de S.Paulo

Paula Magaldi cria canto intimista para amigos no jardim de uma casa do litoral norte de São Paulo

Para descansar. O ambiente é aconchegante. Ao fundo, ducha instalada na parede de toras de eucalipto; à dir., árvore nativa foi coberta com bromélias

 

 

Apressa para que tudo ficasse pronto antes do verão passado fez com que a equipe da paisagista Paula Magaldi corresse contra o tempo. Cerca de 40 funcionários tiveram de trabalhar durante três semanas consecutivas para que o prazo fosse cumprido e os donos pudessem desfrutar das férias na nova casa em Maresias, litoral norte de São Paulo, ao lado dos amigos. O resultado foi um jardim tropical, concebido para impactar os visitantes e mantê-los aconchegados durante toda a sua estadia.

 

O começo da obra, no entanto, não foi nada fácil. "A casa estava em um terreno alagadiço que precisou ser drenado antes do plantio começar", explica a engenheira agrônoma Paula Magaldi. Foram necessárias oito caçambas para retirar todo o entulho. Só depois de o terreno ganhar canalização, a vegetação começou a ser colocada.

 

"Os donos queriam que o projeto fosse impactante, então investimos em uma bela fachada", conta Paula. Um percurso de pergolado de eucalipto recebe os visitantes e encanta pela trepadeira e pelo maciço linear de dietes bicolor - espécie que cresce rapidamente ocupando o trecho determinado. "Ao lado do pergolado, colocamos um piso de fugê para dar um ar rústico e delimitar a área do estacionamento", completa. No muro da casa foram colocadas ravenalas de grande porte e as árvores já existentes foram revestidas de bromélias fireball.

 

 

Confira outras matérias do Casa:

Balada VIP no Campo

A megalomania do feio e do belo

 

 

Passada a entrada, um caminho de cruzetas com fugê na cor palha leva à piscina e contorna o imóvel. "Todo o entorno da casa de veraneio tem jardim e essa é uma das belezas do projeto", comenta Paula. Saindo do deck da piscina, o visitante cai em um jardinzinho que funciona como um living ao ar livre, com sofá, poltrona e um vaso com uma pata-de-elefante. À noite, o espaço ganha um charme especial com iluminação colocada nas palmeiras fênix. Para manter a privacidade, há trepadeiras no alambrado, separando a casa do condomínio.

 

O calor do litoral é amenizado com uma ducha fixada em uma composição de toras de eucalipto que compõe bem com as outras espécies do jardim. "O piso da ducha foi revestido com cruzetas, o que impede que as pessoas sujem os pés", explica Paula.

 

 

Paisagístico. Um maciço de helicônias (em primeiro plano) contorna o deck da piscina suspensa. Ao lado, um canto para relaxar

 

Na parte interna da casa, a paisagista usou um espaço pouco aproveitado para criar um canto de contemplação. Revestiu a parede de canjiquinha e fez uma lâmina d’água. "A sala de jantar ganhou suavidade por ser em frente ao espelho d’água. O barulho acalma e deixa o ambiente mais bonito", completa.

 

Preparo do solo. "Quanto mais o tempo passa, mais bonito o jardim fica", afirma Paula Magaldi. "O segredo é preparar adequadamente o solo." Como engenharia agrônoma, ela afirma que não abre mão desse procedimento. "Se você tem uma base boa, o jardim vai superbem e fica cada vez melhor, ao passo que, se você não faz um bom preparo, as plantas ficam vulneráveis a pragas e doenças."

 

Com o sucesso do jardim, Paula acabou fazendo mais outras oito casas na vizinhança, além do projeto paisagístico do condomínio. Mas confessa: "Como foi a primeira casa do local, guardo um carinho especial por esse projeto".