Ideias para dispor quadros

- O Estado de S.Paulo

Misturar mídias e apostar na assimetria. São algumas indicações de arquitetos para colocar de telas a fotos nas paredes

Agrupamento de imagens, fotografias, telas e gravuras. Molduras especiais, em diferentes tamanhos e formatos, e combinações pouco usuais. Muito além da disposição de um único trabalho, misturar mídias e ousar na colocação das peças faz a diferença ao decorar."A assimetria, na hora de expor trabalhos artísticos, desconstrói o olhar viciado e introduz um dado novo aos objetos, uma bossa a mais aos ambientes", diz o arquiteto Moreno, adepto de disposições pouco convencionais em seus projetos. "É justamente essa mistura que cria movimento e acentua o diferencial de cada artista."Associada, em geral, ao território das obras de arte - sobretudo telas e gravuras -, investir em disposições alternativas tem sido um procedimento adotado também por quem pretende apenas destacar fotografias. Caso dos arquitetos Antonio Ferreira Júnior e Mario Celso Bernardes, que optaram por pequenas molduras, distribuídas de forma irregular sobre a parede, para expor o álbum de família. Outra opção - para quem não pretende ou não pode fazer furos nas paredes - está em usar canaletas de madeira como suporte. Como fez Ricardo Caminada, que dotou um corredor de duas estantes iluminadas para acomodar fotos; ou ainda Fred Benedetti e Fernanda Abs, que concentraram uma coleção de imagens no canto de um quarto. "Nesse tipo de solução, é essencial que exista espaço lateral para permitir boa visualização", alerta Caminada. Mas, e no caso de se combinar diferentes temáticas em uma mesma parede? "Aí, vale a pena estar atento não apenas às condições do suporte, mas também às do entorno, sobretudo móveis e acessórios", ensina Moreno.  Bernardes usa a parede da sala como tela a ser preenchida com diferentes composiçõesSegundo ele, a cor da parede é o primeiro item a ser considerado. "Quando se trabalha com muita informação gráfica como pano de fundo (caso de paredes revestidas com papéis, por exemplo), o melhor a fazer é neutralizar a decoração", aconselha. De outro lado, trabalhos em preto e branco sobre superfícies coloridas ajudam a "acalmar" a ambientação.Sobre paredes brancas, cinzas ou pretas, obras de colorido vibrante adquirem destaque ainda maior. Caso, por exemplo, dos arranjos elaborados por Ferreira Júnior e Bernardes, tendo como base uma estante - quase inteiramente decorada com quadros - ou ainda em um dos cantos de sua sala de estar, onde uma eclética combinação exibe telas, móveis de design e o pôster de sua gata Sofia.Uma coisa é certa, porém: acertar nas composições exige sensibilidade. "Primeiro verifico se as obras, empregadas em conjunto, interagem com a proposta do ambiente. Depois, analiso a proporção de cada peça e, só então, parto para a colocação assimétrica", diz Moreno, que aconselha atenção à sintonia entre moldura e obras. "Sem ela, não há paginação que funcione."