Foco no lazer

Bete Hoppe - O Estado de S.Paulo

Obras ampliam casa e área de descanso, em São Roque

Reformar a casa principal e criar áreas de lazer a partir de um espaço gourmet com piscina, tirando partido do cenário natural. Esse era o desafio das arquitetas Gigi Gorenstein e Isabella Nalon neste projeto em São Roque (a 90 minutos da capital paulista). "Buscamos uma maneira de imprimir nosso estilo sem destoar da construção já existente", explica Isabella. E a dupla teve êxito. As obras foram realizadas em três etapas, segundo as necessidades dos proprietários, e o resultado faz pensar que tudo teve a mão de um único autor, graças ao conjunto harmonioso. No terreno de cerca de 15 mil m², os ambientes agora se conjugam pelas atividades de relaxar, comer e dormir. Após a reforma, a casa-sede passou de 150 m² para 165 m² e hoje se restringe ao repouso da família, que conta com quatro suítes (antes, eram três quartos). Com a demolição da cozinha, transformada em copa de apoio, e do único banheiro, ampliou-se a sala e foi criado um lavabo. O estar, originalmente escuro, teve a cerâmica do piso trocada por uma de tom mais claro, ganhou pintura branca nas paredes e, com a retirada do forro, ficou com as tesouras do teto aparentes. "Eram pouco estéticas porque não foram projetadas para serem visíveis. Mas, depois de pintadas, o resultado ficou bom - brincamos que se parecem com o cabelo do Cebolinha", diz Gigi, referindo-se ao personagem de Maurício de Sousa. Na nova varanda, de 100 m², uma curiosidade: o orquidário. "Foi pedido do proprietário, que descobriu o hobby durante as obras", conta. No terreno que cerca a piscina, as arquitetas criaram um deck com espreguiçadeiras e um terraço como opção de sombra para quem está ao sol. Ali o mobiliário constitui-se de bancada de mármore, mesmo material do tampo das mesas redondas com base de ferro. Dois coqueiros atravessam a cobertura de palha e telhas de PVC transparente (cerca de R$ 25,68 o m², no Grupo Como), solução que realça as árvores e dá charme à estrutura de eucalipto tratado (com diâmetro entre 15 cm e 18 cm, por R$ 20,50 o metro linear, na Artemad). Em volta da piscina, o cimento deu lugar a plaquetas de tijolo (em média, R$ 48 o m², na Cia. das Telhas) em tons palha, fincadas em quadrados no gramado para combinar com o ocre e o amarelo queimado das paredes do espaço gourmet. Canto zen No lado oposto a esse local com pergolado, três ambientes erguem-se sobre o gramado antes vazio: churrasqueira e salão de jogos, entremeados por um jardim de inverno aberto para o verde. Esse canto zen, no centro, é peculiar não só pela presença do espelho d?água, mas também dos revestimentos rústicos. O telhado tem telhas transparentes aqui e ali e as paredes de tijolos são caiadas de branco com textura manual (mistura de areia, cimento branco e cal, aplicada com brocha e depois lixada). Já o piso cerâmico imita tijolo e exibe pastilhas de coco incrustadas num tapete de mármore. Xaxins com bromélias e chifre-de-veadopendem da parede, confundindo dentro e fora. "A vista do verde, aliás, foi o ponto de partida da reforma", diz Gigi. Desfrutar da paisagem, contudo, não significa descuidar da segurança. Por isso, as amplas portas deslizantes de vidro contam com venezianas, tanto na churrasqueira quanto no salão de jogos. Móveis, apenas o necessário para ver TV ou degustar a comida preparada no fogão ou na churrasqueira pré-moldada de cimento: mesa, sofás e banquetas e balcão de granito tabaco (a partir de R$ 300 o m², na Marmoraria La Marthina). Uma passarela coberta une a casa e a área de lazer. Os materiais repetem as plaquetas de tijolo e os mourões de eucalipto, salpicados de vermelho pela trepadeira sapatinho-de-judia. Para o forro, bambuzinho (a partir de R$ 22 o m², na S&R Flores).