Foco nas paredes

Marcelo Lima - O Estado de São Paulo

Decorar apenas uma em todo um ambiente. Em tempos que pedem transformações rápidas – e gastos sob controle –, elas podem representar um verdadeiro trunfo na hora de decorar

Mural executado com tinta spray em sala projetada por Camila Gazola

Mural executado com tinta spray em sala projetada por Camila Gazola Foto: Mariana Orsi

Em tempos que pedem transformações rápidas – e gastos sob controle –, paredes vazias podem representar um verdadeiro trunfo na hora de decorar. Espaços abertos à criatividade, elas podem vir a ter uma participação mais ativa na composição de qualquer ambiente. Tudo, claro, vai depender do efeito desejado, mas, em qualquer situação, é essencial que a superfície escolhida converse com o restante da decoração.

No caso da sala decorada pela arquiteta Camila Gazola (camilagazola.com), feita sob medida para receber uma jovem família, a equação se resumiu a encomendar um trabalho para o muralista Rafael Highraff que, em contraponto à austeridade do mobiliário e dos revestimentos, onde o cinza predomina, carregou nas tintas, investiu pesado no rosa e compôs um painel de efeito explosivo. “É impossível ficar indiferente a ele”, pontua a profissional. Já no caso do arquiteto Ricardo Abreu (ricardo-abreu.com), a opção foi justamente reforçar a sobriedade. O cinza também se faz presente, mas, desta vez, a intenção foi de realçá-lo ainda mais, por meio de um painel cimentício em relevo. 

Revestimento comentício decora parede de sala em projeto de Ricardo Abreu

Revestimento comentício decora parede de sala em projeto de Ricardo Abreu Foto: Marco Antonio

Dessa forma, o próprio material acabou sendo responsável pelo efeito decorativo, o que eliminou gastos adicionais com quadros e demais acessórios. Com um inegável apelo retrô, além dos cimentícios, massas texturizadas prontas para aplicar, ladrilhos cerâmicos e até rochas, com superfícies ressaltadas, como as do mármore e do granito, também vêm sendo empregadas com frequência cada vez maior nos projetos para produzir resultado semelhante.

Claro que, em se tratando de “decorar” paredes, quadros, obras de arte e mesmo pequenos objetos, que remetem à memória afetiva de cada um, serão opções sempre ao alcance. Mas, quando o assunto é dar destaque a somente uma superfície dentro de cada ambiente, é preciso ir um pouco além. 

Em projeto de Júlia Guadix, composição de quadros tendo como fundo parede em tom de azul

Em projeto de Júlia Guadix, composição de quadros tendo como fundo parede em tom de azul Foto: Guilhereme Pucci

“A parede deve ser pensada como um todo, como se fosse a própria tela. A começar pela cor de fundo, que deve dar destaque à composição. A partir daí, é possível combinar molduras, tamanhos, formatos, pequenos desenhos e objetos. Em uma disposição assimétrica ou organizada com rigor. Não importa. O que vale é que os elementos façam referência à vida e ao estilo de quem vive na casa”, destaca a arquiteta Júlia Guadix, à frente do escritório Liv’n Arquitetura, (livn.arq.br). 

Como fez, aliás, seu colega Renato Navarro (renatonavarro.com), que deu destaque à parede de uma área de serviço a partir de vasos que tinham como suporte uma sacola e uma bacia, além de outros objetos inusitados. “Sempre reforço que para criar uma parede com base em quadros, fotos ou objetos basta ter espaço e a firme intenção de transmitir uma mensagem”, diz Júlia. 

Parede de áea de serviço recebe composição inusitada de objetos, em projeto de Renato Navarro

Parede de áea de serviço recebe composição inusitada de objetos, em projeto de Renato Navarro Foto: Reanato Navarro