Ferraris do fogão

Bete Hoppe - O Estado de S.Paulo

Panelas top, que garantem cozimento uniforme e podem ir à mesa, são objeto de cobiça de gourmets

Design moderno e tecnologia de ponta fazem das panelas top objetos de cobiça de chefs e gourmets. Com fundo triplo e antiaderentes, essas Ferraris da cozinha (algumas delas de produção nacional) propiciam o cozimento uniforme, facilitam a limpeza e, em razão da variedade de materiais e cores, conferem plasticidade, seja sobre o fogão, seja sobre a mesa. Um dos modelos mais desejados da francesa Le Creuset, que lançou a moda das panelas laranja, é a wok vermelha brilhante, feita de ferro fundido esmaltado. "Faz sucesso porque não se limita às receitas orientais", diz Michel Papescu, proprietário da loja Pepper. "A curvatura, fiel ao original chinês, deixa o arroz mais solto. Além disso, permite cozinhar sem óleo, conservando as propriedades dos alimentos." Da mesma marca, o caldeirão de aço esmaltado Stock é próprio para cozidos - a versão menor tem capacidade para 7,5 l. "É um material que atinge (e perde) temperatura mais rápido", explica Michel. Atenção: o esmaltado não pode ir ao forno.Quanto à La Grande Maison, versão nacional da Le Creuset, ela faz a diferença no quesito preço. "Apesar de se equiparar em qualidade e até ter o esmalte do mesmo fornecedor da marca francesa, ela custa a metade", diz o gerente comercial Marcio Berti.Tampa-travessaNo caso das panelas de ferro fundido da Staub, outra francesa que conquistou clientela de renome, como o chef Paul Bocuse, o esmalte no interior, de cor preta, é poroso, tornando-se antiaderente com o uso. "Com o tempo, a comida fica melhor porque incorpora mais o sabor. É aquela história: panela velha é que faz comida boa", brinca Fernando Abdalla, proprietário da loja Doural. Dos últimos lançamentos a Mussel Blak é própria para frutos do mar - tem uma grade interna para abrigar os crustáceos, quando se inclina a panela para pegar apenas o molho. Mais: a própria tampa serve como uma espécie de travessa, se usada do lado contrário. A respeito da Banho-Maria, ela realmente se presta a esse fim: é funda e estreita. "Foi desenhada para ser usada na boca pequena do fogão, além de conter bastante água, sem respingar", adianta Fernando. Os alemães continuam a marcar presença com a WMF. Sua panela de pressão Perfect Plus, de inox, traz duas exclusividades: o fundo Transtherm, liga à base de cromo de aço com cápsulas magnéticas, que distribui melhor o calor, e o sistema de segurança acoplado ao cabo, que "avisa" quando a panela pode ser aberta. Já os italianos da Ballarini vão apresentar seus lançamentos na Gift Fair (de 3 a 6 de março, no Expo Center Norte): entre eles, a panela Cuocivapore, da linha Gli Speciali, que cozinha simultaneamente dois tipos de alimentos a vapor; a panela-base, que armazena a água, tem tampa de vidro transparente, fundo de keravis (antiaderente desenvolvido pela Ballarini) e alças de silicone (que não esquentam nem escorregam). Quanto à frigideira da linha Titânio, é revestida dentro e fora pela liga de cerâmicafeita com óxidos de titânio e alumínio, o que a torna resistente a riscos de faca e colher.Vidro temperado aparece também nas tampas das panelas ASD, marca chinesa até agora desconhecida no Brasil. "Trata-se da segunda maior fabricante de panelas da Ásia, que exporta para o mundo todo", informa Michel Papescu, que vende a ASD na Pepper. De alumínio anodizado, com 3 mm de espessura - o dobro da tradicional -, tem alças de baquelite que não esquentam. A Pepper, aliás, é um dos 120 endereços no Brasil que comercializam as panelas Vega, série top da Tramontina Design Collection. Para atingir um público seleto, a empresa brasileira investiu no design, produzindo panelas curvilíneas, com cabos anatômicos e alças inclinadas que evitam o contato com o corpo da panela. De inox, com acabamento fosco ou brilhante, elas têm fundo triplo de alumínio e laterais espessas. "A tecnologia é a mesma; o que muda é o layout e o cuidado nos detalhes", diz Gabriela Chies, coordenadora da linha. "É um artigo limitado - são produzidas 100 unidades de cada modelo por ano."E para incutir o gosto pela cozinha na criançada, a canadense MSC investe em modelos temáticos, como a frigideira de alumínio com antiaderente e a espátula de silicone, da linha Ovo.