Em sua 6ª edição, DW! SP expande seus domínios e ganha novos personagens

- O Estado de S. Paulo

Evento reuniu nada menos do que 300 expositores, espalhados por 120 pontos da cidade

Festivais e semanas de design não nascem do nada, nem acontecem pelo simples desejo de seus promotores. Nas capitais do mundo, onde eles já fincaram raízes, são, antes de tudo, sintoma de vigor criativo, intensa sinergia urbana, além de uma azeitada relação entre todos os setores envolvidos na difusão de bens de consumo: indústria, comércio e mídia.

Criada pelo arquiteto Felipe Bezerra e pelo designer André Gurgel, do Estúdio Mula Preta, a poltrona Donut, apresentada na BoomSPDesign, tem formato baseado no desenho de uma rosquinha. A ideia foi retratar, de maneira bem-humorada, a relação entre comida e pessoas.

Criada pelo arquiteto Felipe Bezerra e pelo designer André Gurgel, do Estúdio Mula Preta, a poltrona Donut, apresentada na BoomSPDesign, tem formato baseado no desenho de uma rosquinha. A ideia foi retratar, de maneira bem-humorada, a relação entre comida e pessoas. Foto: Mula Preta/Divulgação

Sob essa perspectiva, não restam dúvidas de que sobram credenciais para garantir a São Paulo um lugar cativo na concorrida agenda do design internacional. Como bem atesta, aliás, a última edição do DW!, ou Design Weekend local; evento que em sua 6ª edição, encerrada no último dia 13, reuniu nada menos do que 300 expositores, espalhados por 120 pontos da cidade. Números que já o posicionam como o maior festival de seu gênero na América Latina.

Uma expansão rápida, sem dúvida, mas que, no entender de Lauro Andrade, idealizador e promotor do evento, responde a motivações bem precisas. “Três valores fundamentais do design são abordados durante o DW!. O primeiro é seu poder de integrar criatividade, tecnologia e estética. O segundo, sua capacidade de induzir à inovação, agregando valor aos produtos e, o terceiro, sua capacidade de decodificar tecnologias para o usuário final”, afirma.

Igualmente salutares, parecem crescer o envolvimento da população com o festival, bem como o número de lançamentos assinados por profissionais de outras áreas – em especial arquitetura, arte e moda – em um saudável exercício de contaminação criativa que você comprova nas próximas páginas. Por ora, boa leitura. E vida longa à semana de design paulistana.