Em primeira mão, os lançamentos da mais importante feira de cozinhas do mundo

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Produtos serão lançados na próxima edição da Eurocucina, que acontece em Milão, em abril

Proposta da Valcucine contempla duas áreas de trabalho

Proposta da Valcucine contempla duas áreas de trabalho Foto: Divulgação

A criteriosa seleção dos materiais em projetos que lançam mão de laminados nobres, metais com tratamentos inéditos e, não raro, uma sutil combinação dos dois, será, por certo, o aspecto em maior evidência na próxima edição da Eurocucina: a maior e mais representativa das feiras internacionais de cozinhas, que acontece de 14 a 17 de abril, paralelamente ao Salão do Móvel de Milão.

Este ano, 120 fabricantes de todo o mundo vão apresentar seus lançamentos, em uma área de 23 mil m². Em evento paralelo, o FTK (Technology For the Kitchen) completa a seleção, com uma ampla oferta de eletrodomésticos de embutir, exaustores e toda uma gama de recursos tecnológicos que prometem enfatizar a crescente conectividade real e virtual do ambiente.

Evidente em quase todas as grandes marcas, a sofisticação acentuada, tanto material, quanto tecnológica, surge como resultado direto de outra exigência atual dos projetos de interiores: a junção entre áreas sociais e cozinha, o que tem determinado, entre designers e clientes, uma preocupação sem paralelos com a limpeza e a elegância das linhas. 

Apelo desmedido ao luxo? Não necessariamente. Mas, ao que tudo indica, de não poupar recursos para sofisticar o ambiente – por dentro, mas também por fora –, fazendo dele uma quase extensão da área social da casa. Um procedimento adotado, por exemplo, nos modelos Taylor Made, produzidos pela Varenna, a divisão de cozinhas da gigante Poliform.

Produzidas sob medida com vidros temperados e laminados de alta pressão, com elevada resistência a riscos, abrasão, impacto, calor e umidade, elas são finalizadas com tintas sem metais pesados, resistentes ao suor e até mesmo à saliva (um preciosismo particularmente importante para as crianças).

“A cozinha vem se abrindo, aceleradamente, a novos hábitos de socialização. É sensível o desejo das pessoas de compartilhar experiências no ambiente. Hoje eu diria que ela funciona como uma espécie de teatro, no qual atos cotidianos como preparar alimentos, cozinhar e servir se tornam quase espetáculos para entreter as famílias e amigos”, considera Roberto Snaidero, presidente do Salão do Móvel e CEO da Snaidero, outra das gigantes italianas.

Comemorando este ano seu 70.º aniversário, a Snaidero planeja apresentar em Milão quatro novos modelos. Cada um dotado de uma personalidade bem distinta, mas, igualmente, de uma notável versatilidade. “Pensamos sobretudo nos jovens proprietários. Um público em busca de projetos personalizados, mas abordáveis em termos de preço”, diz.

Encarregada de traduzir, na forma de cozinha, o universo do estilista italiano Giorgio Armani, a Dada pretende destacar nos seus lançamentos para a Armani Casa a intimidade que envolve o hábito de cozinhar. A atmosfera é refinada, a iluminação, rebaixada. Emolduradas por armários, bancadas e armários de mármore adquirem uma dimensão quase arquitetônica.

Um rigor formal, no entanto, que em nada se contrapõe à performance do projeto. A maioria dos recursos (fogão, pia, tábuas de corte) ficam embutidos, mas são facilmente acessíveis por meio de um leve deslizamento horizontal. “Para nós, a gastronomia tem sempre papel principal. O que não quer dizer, claro, que um chef não se sentiria muito satisfeito ao receber um convite para jantar no ambiente”, pontua um dos designers responsáveis pelo projeto.

Um das marcas mais inovadoras do segmento, a Valcucine aposta em soluções mais interativas na temporada 2016. Sistemas de abertura e fechamento inteligentes, que respondem a um mero toque, prometem simplificar ao máximo as atividades voltadas ao cozinhar. Além disso, um novo touchpad, acoplável ao ambiente, se propõe a atuar como um centro de controle, ajudando a gerenciar tarefas, acessar informações e compartilhar experiências.

Do ponto de vista visual, o máximo de simplicidade, linhas retas e funcionalidade. Novas cores e materiais de conteúdo sensorial, como de madeiras táteis. No mais, a marca prefere se manter alheia a tendências. “Tudo o que pretendemos é aprimorar, ao máximo, a experiência de quem sente paixão por cozinhar”, declara Sara Erbetta, diretora de marketing da empresa.

Divulgação
Ver Galeria 4

4 imagens