Em meio ao verde

Marcelo Lima - O Estado de S. Paulo

Reforma dota sobrado de jardins suspensos, horta e gramado

Vista do terraço ajardinado, tendo ao fundo a suíte do casal

Vista do terraço ajardinado, tendo ao fundo a suíte do casal Foto: Fran Parente

Quem passa diante desta casa, situada em uma rua tranquila, apesar de estar a poucas quadras da movimentada Alameda Gabriel Monteiro da Silva, no bairro do Jardim Paulistano, não se dá conta da exuberância tropical que dentro dela habita. “Só de teto ajardinado são nada menos do que 144 m² de área verde. E de pensar que antes da reforma, em uma foto aérea, tudo que veríamos seria um telhado de fibrocimento”, afirma Clara Reynaldo, da CR2 Arquitetura, que, ao lado da também arquiteta Cecilia Reichstul, assina o projeto de reforma do imóvel.

Concluída  em 15 meses, a operação de retrofit teve como alvo principal atualizar as duas construções existentes no local: a da frente, com as dependências da casa propriamente dita, e a dos fundos, com lavanderia, quarto e depósito, que ocupava nada menos que uma área de 120 m², quase 20% da área total do terreno. 

“Parte significativa do que poderia vir a ser um jardim era ocupada por circulação e área para estender roupa. Percebemos que era possível atualizar a construção principal, sem demoli-la ou ter de recorrer a grandes intervenções estruturais, mas que, para transformar o local por completo, seria necessário eliminar o bloco de serviços”, explica Clara.  

Confira as fotos do projeto: 

Fran Parente
Ver Galeria 13

13 imagens

E foi assim que surgiu uma nova ala no terreno, construída em continuidade com a sala de jantar do bloco principal. Nesse novo edifício, além de dependências mais atualizadas, foi feito um banheiro de apoio à piscina, uma adega e uma cozinha gourmet. Anexo a ele, surgia ainda a primeira das áreas verdes do projeto: um gramado para os meninos  jogarem bola.

Impermeabilizadas e estruturalmente dimensionadas, as lajes das duas construções, a nova e a existente, acabaram sendo ocupadas por uma ampla área ajardinada, com espaço suficiente para abrigar horta e área de convivência, criada em conjunto com a paisagista Gabriella Ornaghi. Um jardim suspenso, hoje a área mais frequentada da casa, com acesso tanto pela suíte principal, quanto por uma escada metálica, situada no fundo do lote.

No mais, a troca dos caixilhos e a retirada do beiral colaboraram para dar um ar mais limpo para a fachada da casa, erguida em 1965. Internamente, no bloco principal, foram feitas algumas mudanças para deixar os espaços mais integrados e iluminados, mas sem mexer na disposição geral dos ambientes. “A ventilação cruzada já permitia o uso das áreas sociais sem ar-condicionado. Os materiais claros e as amplas portas e janelas de correr ajudaram a deixar os espaços ainda mais luminosos, assim como as paredes brancas e os poucos elementos da decoração. 

Principal revestimento empregado, a madeira modificada, Accoya, aparece em nada menos do que três momentos distintos do projeto: no portão da rua, aplicado sobre uma estrutura de aço, no revestimento do bloco principal e também nos armários da cozinha de apoio à piscina. “Variar pouco os materiais nos permitiu atingir esse visual mais limpo e uniforme que tanto desejávamos”, sintetiza Clara.