Em busca da dimensão poética das coisas

- O Estado de S.Paulo

O artista conceitual italiano usa a luz para representar a arquitetura em instalação em Miami

O artista conceitual italiano Massimo Uberti

O artista conceitual italiano Massimo Uberti Foto: Divulgação

Arte, arquitetura, design. Todas as disciplinas se conectam no trabalho do artista conceitual italiano Massimo Uberti. Nunca, porém, de forma excludente. Comissionado para conduzir a edição inaugural da Bentley Elements – programa cultural lançado pela fabricante de carros de luxo inglesa na última edição da feira Design Miami, no mês passado –, ele marcou presença no Design District com uma instalação que, por meio de uma estrutura de néon, colocava em evidência os valores institucionais da marca. No cerne da proposta, seu desejo permanente de apresentar a luz em sua forma mais pura, relatou ao Casa, em Miami.

Como conceitua seu trabalho?

Diria que procuro perceber a arquitetura por meio da luz. Tal como acontece com todos os pintores, desde o início da história, a luz é o dado essencial. Ao contrário deles, no entanto, trabalho com o tridimensional, construindo espaços que convidam à reflexão e, de alguma forma, procuram captar a dimensão poética das coisas. O que, aliás, considero essencial em qualquer disciplina criativa, incluindo a arquitetura e o design.

Como isso se dá na presente instalação? 

Basicamente, o espaço sugere a intersecção entre o homem e seus espaços, seja ele o laboral ou o habitacional. Fazendo referência à forma de um edifício – no interior do qual aparecem uma mesa apoiada em um cavalete e uma cadeira –, pretendi homenagear o trabalho manual e o toque humano presentes no processo produtivo da marca.

Como o projeto se conecta com o universo da Bentley?

Ao visitar a fábrica deles na cidade de Crewe, na Inglaterra, o aspecto que mais me tocou, por sua imediata conexão com meu trabalho, foram as baias de inspeção final dos veículos, todas iluminadas por néon. Eram ambientes não só visualmente impressionantes, mas também a própria expressão da preocupação da Bentley com a exclusividade de sua tecnologia, do fazer artesanal e do design. Não por acaso, os tubos de néon desse trabalho foram fundidos em Miami e dessa galeria não poderão mais sair, nem ser reutilizados. Mesmo com a instalação desativada.  

A instalação de néon de Massimo Uberti em uma galeria do Design District, em Miami

A instalação de néon de Massimo Uberti em uma galeria do Design District, em Miami Foto: Divulgação