Do funcional ao decorativo: conheça diferentes modelos de estantes

Ana Lourenço - O Estado de S. Paulo

Mais do que expor objetos, estante pode exercer papel-chave na montagem dos ambientes

Estantes nem sempre têm função apenas decorativa; o componente funcional é igualmente importante, seja para armazenar e expor objetos de valor afetivo, integrar ambientes ou setorizar os espaços

Estantes nem sempre têm função apenas decorativa; o componente funcional é igualmente importante, seja para armazenar e expor objetos de valor afetivo, integrar ambientes ou setorizar os espaços Foto: Evelyn Müller

Dificilmente um projeto de interiores não faz uso de uma estante. Muito mais do que um mero suporte de objetos decorativos, porta-retratos e livros, as estantes de uma casa falam muito da personalidade de cada morador. Afinal, são nelas que ficam expostas as melhores lembranças e histórias vividas por ele.

Ocorre, no entanto, que nem sempre as estantes têm apenas uma função decorativa. Seu componente funcional é igualmente forte e, sempre que possível, deve estar atrelado ao projeto. Seja para armazenar e expor, da melhor maneira possível, os objetos de valor afetivo, integrar ambientes ou ainda ajudar a setorizar os espaços.

Por isso, o ideal é que ela seja pensada desde a hora zero, ou seja, desde o momento da concepção do projeto, quando todas as possibilidades estão ainda em aberto. Uma estante que for projetada para um home office, por exemplo, deve levar em conta a quantidade e o tamanho de livros que vai receber, assim como a distribuição deles e a facilidade de acesso aos volumes. 

Saber que tipo de objeto será exposto é o primeiro passo. “Envolve uma questão que vai muito além da estética. Isso tudo tem impacto não somente no dimensionamento da estante, mas também na escolha de seu material construtivo – gesso, serralheria, marcenaria ou vidro – e nas suas condições de fixação”, afirma o arquiteto Renato Mendonça, que assina o projeto, de madeira e metal, da foto abaixo.

Estante setoriza e integra os ambientes da sala e cozinha

Estante setoriza e integra os ambientes da sala e cozinha Foto: Lufe Gomes

“Neste apartamento, precisávamos criar algum tipo de integração entre a cozinha e o living. Por isso, optamos por implantar uma estante parcialmente vazada. Nossa ideia foi que ela se abrisse tanto para o living, quanto para a cozinha”, detalha Mendonça. 

Além disso, o modelo traz caixas soltas, que funcionam como gavetas, se abrindo para um ambiente, ou para o outro, de acordo com a conveniência do morador. “Posicionamos um pedaço de feltro embaixo de cada uma para que elas pudessem deslizar melhor e, assim, ser utilizadas dos dois lados”, detalha ele.

Além de dar um toque todo especial à decoração, a estante pode, de fato, auxiliar na organização da casa. Tudo, porém, vai depender de cada projeto. Portanto, não existe a estante certa, apenas a mais propícia para cada ambiente. Como você confere abaixo:

Lufe Gomes
Ver Galeria 7

7 imagens

Luz interior

Antes áreas de difícil acesso, iluminar nichos e prateleiras ficou muito mais fácil com o advento das fitas de LED. “É uma iluminação moderna e minimalista. Ela clareia pontualmente, mas não interfere na decoração”, pontua Álvaro Buzaid, proprietário da Puntoluce. 

Maleável e com formato achatado, as fitas de LED tem estrutura similar às luzes usadas na árvore de Natal. São de fácil aplicação e podem ser usadas em toda casa, da prateleira do banheiro até a estante da cozinha. Porém, para que o produto dure mais é aconselhável que seja usado juntamente com um perfil metálico. “Com o uso, o LED esquenta e sua instalação diretamente na madeira interfere na variação de sua temperatura, fazendo com que a lâmpada queime em pouco tempo”, explica Buzaid. Para uma melhor performance, ele indica o uso de fitas com índice de reprodução de cor acima de 90.

No mercado, o preço do produto varia conforme sua potência e qualidade. Em geral, o metro da fita custa entre R$ 40 e R$ 100, e o perfil metálico de R$ 20 a R$ 45