Dicas para deixar a cozinha bonita, alegre e funcional

Marcelo Gomes Lima - Especial para o Estadão

É sempre possível imprimir um visual mais acolhedor à sua cozinha. Mas, para tanto, é preciso considerar o uso que se fará do ambiente

Em meio ao verdadeiro quebra-cabeça de armários, eletrodomésticos, móveis e acessórios que acaba se transformando a montagem de uma cozinha, a funcionalidade é o primeiro fator a ser considerado. E é natural que seja assim. Afinal, cozinhar é uma atividade que exige o desempenho de tarefas específicas,  para as quais é essencial dispor de equipamentos e utilitários adequados e, ainda, que eles estejam ao alcance da mão. 

Ladrilho demarca área da cozinha em projeto de Paula Neder

Ladrilho demarca área da cozinha em projeto de Paula Neder Foto: Leonardo Costa

Isso posto, nada impede que uma cozinha, seja qual for o seu tamanho, possa se converter em um lugar agradável de ficar, ao contrário de uma simples área de passagem ou mero apêndice da área de serviço. Longe da fórmula tradicional do cubo branco, revestido de cerâmica do piso ao teto, é cada vez maior o número de moradores interessados em dotar o ambiente de um visual menos convencional. Mas, para tanto, é preciso prestar atenção ao projeto como um todo.  

“Tudo começa por uma definição clara de como a cozinha vai ser utilizada. Todas as demais soluções devem levar em conta essa condição. Uma coisa é montar uma cozinha para quem de fato, cozinha e usa muito o espaço. Outra, bem diferente, é conceber um ambiente para quem faz apenas uso eventual dele”, pontua o designer e youtuber Paulo Biacchi  que, nos últimos tempos vem se especializando em realizar reformas relâmpago em cozinhas já existentes. 

Parede é revestida cm tinta lousa em cozinha assinada pela arquiteta Adriana Esteves

Parede é revestida cm tinta lousa em cozinha assinada pela arquiteta Adriana Esteves Foto: Denilson Machado/MCAStudio

“Procuro trabalhar em camadas, começando pela definição da cor das paredes. Embora sinto ainda uma certa resistência em adotar tons mais fortes no ambiente, em geral, eles são os que mais produzem efeito”, explica ele. “Mas, seja qual for a tonalidade escolhida, claro, que ela deve se harmonizar com o piso e também considerar as condições de insolação no ambiente. Depois que a tinta secar, o efeito final vai depender, em grande parte, da luz que incide sobre o ambiente”.

Apenas após a definição dessa espécie de invólucro, formado pelo conjunto piso, parede e teto, o designer dá início à fase de escolha do mobiliário. “Claro que existe sempre a opção de trabalhar com móveis planejados. Mas, para obter um efeito mais personalizado, prefiro trabalhar com peças avulsas, inclusive reciclando, por meio de pintura, algumas já existentes nas casas ”, afirma. “Por fim, entram os utilitários, ornamentos e, principalmente, plantas. Muitas, de preferência”.

Habituada a realizar projetos de cozinha partindo do zero, ou seja, em edifícios ainda em fase de construção, a arquiteta Adriana Esteves também aposta em customização. “Penso que é importante imprimir a personalidade do morador ao ambiente. Cada vez mais meus clientes querem se ver em suas cozinhas”, afirma ela, que tem percebido nos últimos anos um crescente interesse por soluções mais quentes e acolhedoras.

Cozinha redecorada pelo designer Paulo Bacchi 

Cozinha redecorada pelo designer Paulo Bacchi  Foto: Leroy Merlin

Nesse sentido, como primeiro passo, a arquiteta desaconselha o uso de revestimentos cerâmicos brancos e com brilho, que, em geral, acabam deixando qualquer cozinha com uma aparência fria e inóspita. “Procuro aquecer o visual com materiais que proporcionem sensação de acolhimento, tais como porcelanatos que imitam madeira, tanto no piso como nas paredes, tijolinhos de terracota ou até mesmo pastilhas sextavadas e ladrilhos hidráulicos”, explica. 

Diminuir as áreas recobertas por revestimentos cerâmicos, substituindo-as por áreas espelhadas ou revestidas com painéis de madeira é também, segundo Adriana, um recurso sempre à mão para quebrar a aparência de frieza da cozinha. “Também vale diminuir a área de fixação de bancadas e armários planejados, optando, sempre que possível, por prateleiras fixas nas paredes, ganchos metálicos, além de mesas e armários avulsos”, considera a arquiteta. 

Por fim, ao montar. ou redecorar sua cozinha, não perca de vista a facilidade de manutenção. “Determinados revestimentos como ladrilhos hidráulicos, muito porosos, não são recomendados para revestir pisos em cozinhas que são muito utilizadas”, adianta Paulo Biacchi. “Recomendo priorizar porcelanatos, cerâmicas, laminados texturizados, tinta epóxi e espelhos, que são mais fáceis de limpar e acumulam menos gordura”, complementa Adriana Esteves.

Cozinha antes da intervenção do designer Paulo Bacchi 

Cozinha antes da intervenção do designer Paulo Bacchi  Foto: Leroy Merlin

Redecore sua cozinha

Escolha das cores. A maneira mais barata e eficaz de redecorar sua cozinha é mudando a cor da parede. Na hora de escolher, procure considerar três tonalidades básicas: a cor existente que você não pode alterar, que pode ser a dos armários, piso ou bancada. Uma outra, neutra, que deve ser complementar a ela, e servir como pano de fundo. E, por fim, um tom mais ousado, inesperado, que pode estar presente nos acessórios, utilitários e ornamentos que ficarem à vista.

Iluminação. Também pode ajudar, em muito, a criar um clima mais acolhedor na cozinha. Segundo os profissionais, o ideal é mesclar a iluminação técnica, indireta, com arandela nas paredes e luz direta nos armários e prateleiras.

Prateleiras abertas. Se você já tem armários instalados, deixe-os intactos e procure instalar prateleiras flutuantes em qualquer parede aberta. Depois, procure coordenar seus objetos por cores, para uma aparência mais harmônica. 

Rosa é tom complementar à madeira, em projeto de Adriana Esteves

Rosa é tom complementar à madeira, em projeto de Adriana Esteves Foto: Andre Nazareth

Armários existentes. Você não precisa eliminá-los para conferir um visual radicalmente novo à sua cozinha. Para tanto, experimente apenas remover algumas portas dos armários superiores e repintar a parede de trás.

Ornamentos. Ao usar uma parede como galeria, você não precisa seguir nenhuma regra. Além de utilitários, não perca a oportunidade de expor seus objetos favoritos.  E mesmo alguns inusitados, como pratos e panos de prato emoldurados.

Use tinta de quadro-negro. Você pode transformar por completo o visual de uma das paredes de sua cozinha aplicando tinta de lousa sobre ela. Depois, é só usar giz para escrever o que quiser sobre ela: de receitas a pequenos recados.