Designer alemão fala sobre receber o título de profissional do ano em Paris

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Sebastian Herkner recebeu homenagem na Maison & Objet deste ano

Setor da mostra dedicada ao trabalho do designer pela Maison & Objet deste ano, explicitando a técnica de produção de uma de suas poltronas 

Setor da mostra dedicada ao trabalho do designer pela Maison & Objet deste ano, explicitando a técnica de produção de uma de suas poltronas  Foto: Maison & Objet

Estrela em ascensão, o designer alemão Sebastian Herkner, aos 37 anos, traz no currículo nada menos que vinte e um projetos, concluídos ou em andamento, para marcas do primeiro time do design internacional, como Moroso, Dedon e Thonet. Isso, para citar apenas algumas. Ao longo da última década, ele recebeu nada menos do que trinta prêmios em reconhecimento ao seu trabalho, sendo o mais recente deles o título de designer do ano da Maison & Objet, a mais representativa das feiras de design e decoração francesas, realizada no mês passado em Paris. Uma trajetória de fato surpreendente para quem abriu seu estúdio há pouco mais de uma década e continua a criar e a produzir na quase desconhecida Offenbach am Main, cidade do estado de Hesse, Alemanha. “Nutro um amor incondicional pelo artesanato mas, ao mesmo tempo, um enorme desejo de abraçar o global, de atrair outras culturas. Talvez venha daí o interesse pelo que eu faço”, conforme afirmou o designer durante a abertura da mostra retrospectiva de sua carreira na Maison & Objet, de onde ele falou ao Casa.

Você acaba de ser aclamado designer do ano pela Maison & Objet. Como recebeu a indicação e qual o significado dela para na sua carreira?

É uma grande honra ser selecionado como Designer do Ano na Maison & Objet, especialmente porque eu sempre tive um fraco pela cultura francesa, notavelmente, por sua arquitetura de interiores e design, que sempre exalaram um senso de elegância e sofisticação que fazem parte da própria identidade do país. Os designers na França não têm medo de usar cores, de combinar tecidos. Eu particularmente aprecio a enorme riqueza de artesanato que a França tem a oferecer. Isso foi algo que descobri ainda jovem, quando eu passava as férias aqui. Na Alemanha, nossa cultura é principalmente construída em torno da engenharia, então acho que isso me deixa ainda mais agradecido por tudo que a França oferece. Além disso, o prêmio mostra que o júri aprecia minha abordagem do design, o que é, sem dúvida, um grande incentivo.

No seu trabalho, a preocupação com o material em si parece preceder o próprio desenho do objeto. Do esboço ao produto final, quão importante é para você cada etapa do processo?

Não é apenas o material em si, mas, basicamente, a forma de moldá-lo ou o tipo de produção. Eu sempre tento procurar a melhor maneira de desenvolver um produto, mesmo que seja por meio de um simples detalhe. E isso é válido tanto para os processos artesanais tradicionais, como para as novas tecnologias. Eu me preocupo em observar cada estágio da produção, preciso conhecer as pessoas por trás das cenas, porque para mim elas são fundamentais. Elas são os meus heróis, os seres capazes de dar vida às minhas ideias. Além disso, hoje em dia é importante olhar para o material também do ponto de vista ambiental e da economia de recursos. Acho que temos que ser responsáveis pelo consumo de produtos, por isso procuro sempre produzir resíduos menos agressivos e da forma mais esporádica possível.

Vidro, madeira, cerâmica. O que cada um desses materiais levou você a conhecer sobre o processo de design?

Todo material te impõe desafios. No meu caso, prefiro trabalhar com materiais reais, autênticos e honestos como a madeira, o latão e o vidro, que, por si só, já conferem um certo grau de estética e qualidade a qualquer produto, sobretudo em sintonia com a cor, que é outro dado fundamental no meu trabalho. Acredito que é essa combinação que dá caráter a meus produtos.

 

Mesas Bell, com base de vidro soprado, da ClassiCon

Mesas Bell, com base de vidro soprado, da ClassiCon Foto: Studio Sebastian Herkner

O designer alemão Senastian Herkner 

O designer alemão Senastian Herkner  Foto: Gaby Gerster