De espiões a espionados

Tim McKeough - O Estado de S.Paulo

Depois de comprar o sonhado imóvel, casal americano descobre que outros também sondam pela janela

A estante que ladeia a janela guarda uma coleção de LPs

A estante que ladeia a janela guarda uma coleção de LPs Foto: Bruce Buck/The New York Times

Quando Elspeth Benoit e David Bevan, ambos de 31 anos, alugavam um apartamento em Brooklyn Heights, em Nova York, eles caminhavam por Warren Place, em Cobble Hill, sonhando em morar ali. O residencial para trabalhadores construído em 1870, com um quarteirão de comprimento, tem apartamentos estreitos em ambos os lados de um pátio central ajardinado fechado para carros por grades de ferro.

“O lugar parecia um charmoso oásis na cidade”, disse a decoradora Elspeth. “Passávamos na frente e ficávamos espionando”, disse Bevan, compositor que na época trabalhava como editor da revista Spin.

No início de 2012, ao descobrir que um dos apartamentos estava à venda, marcaram uma visita com corretor, “quase por brincadeira”. Mas, depois de ver o imóvel, o assunto ficou sério, embora o imóvel tivesse seus problemas. “Era uma série de cômodos escuros e apertados e o pé-direito era baixo”, disse Elspeth. 

Com menos de 4 m de largura interior, a construção de três andares tinha pouco mais de 90 m² – bem maior que o apartamento alugado do casal, de 30 m². E a propriedade tinha um jardim particular e um casebre que podia ser convertido em escritório para Bevan.

O casal comprou o apartamento por US$ 1,3 milhão (cerca de R$ 3,4 milhões) em maio daquele ano, contratando o escritório Ensemble Architecture para a reforma. Para abrir os cômodos e permitir a entrada de luz, os arquitetos demoliram uma escadaria central que ficava enclausurada entre paredes, substituindo-a por uma escadaria aberta com guarda-corpo. Uma claraboia ilumina agora os três andares.

Eles recuperaram espaço removendo o acabamento de gesso e expondo os tijolos da parede e o revestimento original do teto, de madeira. Quando terminaram a reforma de US$ 550 mil (R$ 1,4 milhão), em março, ficaram surpresos com o novo imóvel de dois quartos e dois banheiros que emergiu dos tapumes: a reforma fez o imóvel parecer muito maior e mais iluminado. Dias depois da mudança, Elspeth confirmou que estava grávida. A filha deles, Rhys, nasceu no dia 11 de novembro em Redwood City – Bevan conseguiu um novo emprego e o casal agora divide o tempo entre a Califórnia e Nova York.

O casal reparou que outros sonham em morar em Warren Place. “Descobrimos que é comum encontrar pessoas caminhando pelo jardim e olhando pelas janelas”, disse Elspeth.

/ Tradução de Augusto Calil