Correto e ousado

JENNIFER GONZALES - O Estado de S.Paulo

No Apartamento, destacam-se o uso de cores pouco comuns no Living e a preocupação com a ecologia

Sustentabilidade é um tema urgente para o planeta e a Casa Cor 2009 ensaia os primeiros passos na tentativa de incorporá-la no universo D&D. Esse esforço pode ser visto, em diferentes graus, nos oito ambientes do Apartamento, que não possui um perfil definido de morador. O paisagista Burle Marx, cujo centenário de nascimento é celebrado este ano, serviu de inspiração para as cores e formas do Living, que se valeu também de móveis repaginados e materiais reaproveitados. A ousadia está presente nos tons pouco usuais que remetem ao modernismo brasileiro, no qual Burle Marx tem lugar cativo.

Bonita, porém mais do que habitual nos atuais projetos de decoração, a madeira de demolição aparece no piso de três ambientes da área social. No Home Theater, a opção foi pelo bambu pintado de preto, por ser matéria-prima inovadora e, ainda por cima, sustentável. O crescente uso de lâmpadas fluorescentes e LEDs (diodo emissor de luz), em substituição aos tradicionais modelos incandescentes, também conta ponto a favor dos profissionais do Apartamento. Alguns dele, no entanto, apontam a escassez de produtos com padrão de sustentabilidade no mercado.

Soluções criativas, portanto, são mais do que bem-vindas, como no caso da Lavanderia, onde o sabão ecológico, feito a partir da reciclagem de óleo de cozinha, serviu para dar um efeito estético ao ambiente. A pilha formada por essas barras na parede de vidro, que funciona como armário, reforça o conceito de limpeza do espaço e, de quebra, ajuda a divulgar o produto.

Living

O verde das paredes (Suvinil) dá o tom ao ambiente que homenageia Burle Marx. "Queríamos sair da zona de conforto e aplicar tons vibrantes. Partimos do azul-turquesa e do verde, bastante usados nas telas de Burle Marx, que também era pintor", diz Antonio Ferreira Júnior. O tapete desenhado por ele e Mario Celso Bernardes (Punto e Filo) dialoga com a obra de 1976 (sem título) instalada acima do sofá . A peça foi revestida com couro sintético de aspecto envelhecido (Regatta). Tacos de piso de perobinha de reflorestamento com aspecto de madeira de demolição (IndusParquet) ajudam a conferir um ar de ?vivido?.

Sala de Jantar

Francisco Cálio usou marcenaria suspensa de resina branca para abrir ainda mais o ambiente, que tem pé-direito de 5 metros. O espaço, como resultado, parece bem maior que seus 40 m2, deixando lugar para a luminária Horse Lamp, desenhada pela Front para Moooi (Micasa). "Queria proporcionar uma boa área de circulação, já que o suposto morador é uma pessoa que gosta de receber", explica Cálio. "Instalei poucas e belas peças de design e, em vez de centralizar a mesa de jantar, a coloquei em uma das pontas da sala." A marcenaria e a iluminação também contribuem para a impressão de um espaço maior, assim como o lambri de espelhos (Guardian).

Home Theater

Quem poderia imaginar que, em uma área de metragem mínima (apenas 26 m2), seria possível criar um espaço confortável de desfrute à sétima arte? A arquiteta Consuelo Jorge estabeleceu no local uma atmosfera de sala de cinema ao revestir a parede de fundo com espelhos pintados de preto, assim como o piso de bambu natural (RB Pisos e Acabamentos), material que começa a ser procurado por quem busca soluções sustentáveis para a decoração. Sobre essa base de revestimentos foi instalada uma concha esculpida de drywall que serve de tela. "O foco do projeto é a forma, mas a acústica também foi valorizada", diz Consuelo. "Os desníveis criados na estrutura curva trabalham como rebatedores do som que sai das quatro caixas embutidas no teto." Para fazer um contraponto cromático, a arquiteta escolheu tons fortes no mobiliário, como a mesa de laca verde-limão (Grifel), que comporta uma estação para arquivamento digital de filmes.

Home Office

Admiradora de Ronnie Von e amiga da família do apresentador, a designer de interiores Simone Goltcher inspirou-se na trajetória e nos hobbies do artista para retratar seu gosto estético. "Decidi prestar-lhe essa homenagem, imaginando um local de trabalho onde ele se sentiria à vontade", conta. "Ronnie gosta de tons claros na ambientação e possui uma coleção de discos, fotos e memorabília, que incluí na composição." A estante de laca branca (Bontempo) exibe peças e abre espaço para um minipaisagismo com mudas de zamilcuca.

Átrio

O ambiente de entrada do apartamento tem toque francês. As arquitetas Carol Farah e Vivi Cirello tomaram como mote o Ano da França no Brasil e criaram um espaço com pitadas de elementos da cultura francesa, como a parede de tijolos em tons sutis de lilás e ferrugem (Palimanan), que representa o lado romântico do campo. Em referência ao erotismo francês, fotografias do Studio Giovanna Nucci, cuja linguagem contemporânea é seguida pelo sofá de linho de Tom Dixon (Casa Matriz). O lustre belga (Puntoluce) finaliza a levada rústica chic.

Suíte Master

O arquiteto Oskar Mikail optou por uma combinação de glamour e tecnologia no ambiente, equipado com cortinas motorizadas e revestido por tecidos de luxo, caso do estampado inglês de algodão com simbologias (Andrew Martin, por Miranda Green). O sofá DS-164 (da suíça DeSede, trazido pela Staaten) recepciona os visitantes e resume esse espírito contemporâneo. Lançado no último Salão do Móvel de Milão, em abril, o encosto da peça se move em seu entorno, criando possibilidades de uso. Pequenas esculturas, como os aramados de Luís Hermann e as letras A e R, feitas na década de 70 pelo carioca Rubens Gerchman, revelam a influência pop . É o que se vê também na sala de banho, aberta para o resto do ambiente. Nesse espaço, de paredes revestidas com chapas de espelho escuro (Ebony Black, da Guardian), reina a poltrona Prince Chair, da designer Louise Campbell, reeditada pela Forma.

Cozinha

"A cozinha de apartamentos novos é cada vez menor e o sonho dos moradores é ter um espaço gourmet." Partindo dessa premissa, contemplada pelas arquitetas Renata Florenzano e Myrna Porcaro, a dupla produziu um ambiente com aproveitamento máximo de área, graças aos espelhos bronze (Vidros Magé) nas paredes laterais, que convivem bem com os armários de laccato e argentato branco e chocolate (Bontempo). A bancada de stoneglass (Avitá) reúne cooktop e banquetas de madeira certificada (André Cruz Design).

Lavanderia

A dupla de arquitetos José Antonio Queijo e Ana Cristina Barbosa partiu de materiais como vidro, acrílico e inox para criar um ambiente que remete à limpeza. Para reforçar essa ideia e enfatizar a mensagem da sustentabilidade, a fachada do espaço foi construída com estrutura de vidro (MJR Vidraçaria) que permite ver, do lado de fora, o painel de ecorresina 3 form (Hunter Douglas, na Luri Decorações), que contém 40% de material reciclado e é produzido com fonte eólica de energia. Os armários de vidro também exibem o sabão em barra feito de óleo usado na cozinha (Instituto Triângulo).