Contato com a natureza

Monique Heemann - Especial para o Estado

Escolha das plantas e flores devem considerar as condições de cada local

Trazer a natureza para dentro de casa é um recurso estético que pode acontecer em todas as estações. Mas é na primavera que floresce o desejo de se sentir mais próximo de plantas e flores. De preferência, por meio de um ou mais vasos posicionados em pontos estratégicos.

Vasos de diferenres formatos em projeto de Marco Aurélio Viterbo

Vasos de diferenres formatos em projeto de Marco Aurélio Viterbo Foto: Zeca Wittner/Estadão

“A energia que as flores trazem para a decoração é indiscutível e faz falta”, observa o arquiteto Marco Aurélio Viterbo, que adora se encarregar pessoalmente da tarefa de fazer “florir” os ambientes de sua casa. Com buquês nos ambientes fechados, que não contam com incidência de luz solar e vento, e com plantas fixas a vasos, como kalanchoes e orquídeas, nas varandas e terraços.

Tão importante quanto as condições em que a planta ficará exposta, a escolha do recipiente que vai recebê-la deve ser feita com critério. “É preciso saber como é a raiz e como se dará o crescimento da flor para haver uma proporção entre a parte enterrada e a que fica fora do vaso”, analisa o arquiteto paisagista Rogerio Shinagawa. “Além do que, o conjunto vaso e planta deve se adequar à decoração.”

Nesse sentido, a forma como o arranjo será apresentado merece também toda a atenção. “Gosto de montar os buquês à mão e prendê-los com um barbantes para só então colocar no vaso. O visual fica despojado, como se as flores tivessem sido jogadas lá”, revela Marco Aurélio. Outra dica do arquiteto é utilizar uma camada de folhagens no interior do vaso para deixar a flor na posição desejada, em caso de recipientes com uma menor abertura. É preciso ainda levar em conta a rotina de cada morador. “Procuro saber se a pessoa gosta e tem tempo para cuidar das plantas”, destaca Shinagawa. Segundo ele, as leguminosas são boa alternativa para quem não para em casa.

Especializada em projetos paisagísticos, Gabriela Santos e Souza lembra a importância de pensar na drenagem do vaso, que permite o escoamento da água. “Materiais como brita, cacos de cerâmica, pedrisco ou argila expandida cumprem bem a função”, diz. Segundo a profissional, depois é só colocar um pedaço de manta de drenagem de poliéster para que a terra não impeça a passagem da água.