Conheça um apartamento em Pinheiros que ousou no uso das cores

Ana Lourenço - O Estado de S. Paulo

Grafismos, tonalidades concentradas e contrastes acentuados. Eis a receita da arquiteta Beatriz Quinelato na decoração deste projeto

Integrada aos interiores, a varanda recebeu sala de estar, com mesa de laca rodeada por cadeiras de palhinha, e espaço para relaxamento

Integrada aos interiores, a varanda recebeu sala de estar, com mesa de laca rodeada por cadeiras de palhinha, e espaço para relaxamento Foto: Adriano Escanhuela

Pinheiros é um bairro cheio de cor. Seus famosos grafites e seus numerosos cafés, restaurantes e bares, decorados com esmero, estão aí para comprovar a tese. Recentemente porém, um outro espaço chegou para também compor o arco-íris do bairro: um apartamento de 120 m², decorado para um casal com uma filha, que leva a assinatura da arquiteta Beatriz Quinelato.

Um projeto no qual a cor é explorada com tanto vigor, a ponto de se transformar no fio condutor da decoração. “A escolha das cores teve como pontapé inicial o quadro verde, e de grande valor sentimental, pintado pelo avô dos clientes, Orlando Marcucci”, conta a profissional que, para que a peça ganhasse devido destaque na sala, executou uma parede que imita concreto, basicamente para colocá-la em destaque.

Foi inclusive a partir do tom de verde da obra que a arquiteta decidiu compor o hall social, inteiramente monocromático. “Até mesmo a cômoda, desenho nosso, recebeu pintura especial”, explica ela. O resultado imprimiu tanta ousadia e personalidade ao espaço que a profissional resolveu radicalizar no uso das cores em todo o apartamento. 

Confira todas as fotos do projeto: 

Adriano Escanhuela
Ver Galeria 9

9 imagens

Cor complementar ao verde, o azul foi escolhido para colorir os demais ambientes da casa. Como a varanda, que traz a cor bastante presente, por exemplo, em sua porta retrátil. “O marido não queria abrir mão de ter um espaço para fazer churrasco, mas sua esposa não queria ter a churrasqueira aparecendo quando esta não estivesse em uso. Foi quando criamos uma porta camarão que pudesse esconder ou mostrar o espaço, dependendo da ocasião”, esclarece Beatriz.

Também na área externa, as cores vibrantes ganham espaço. No caso, por meio de um painel de madeira decorado com grafismos azuis, de almofadas e pufe no mesmo tom e ainda por meio dos muitos vasos de plantas, que recobrem uma estrutura montada para isolar e esconder o aparelho de ar condicionado. 

Assim, em uma disposição pouco usual em projetos do tipo, a sala de jantar vem se integrar a um espaço criado para relaxar, equipado com uma confortável poltrona. Tudo em meio a muito verde. “De certa forma, a parede de madeira com figuras geométricas conversa com o tapete preto e branco da sala, com suas linhas e formas também bastante definidas”, diz ela. 

Na suíte do casal, as estampas também se fazem presentes na cabeceira estofada. Desta vez, tendo como base o azul misturado ao branco. Com acabamento em laca, a cor da marcenaria remete à porta retrátil da varanda. 

Mas as ousadias cromáticas não param por aí, se espalhando pelo quarto da filha, pelo de hóspedes e até pelo lavabo. Todos repletos de cores e contrastes. Dessa forma, com toda sua vivacidade, o apartamento se coloca em sintonia com seu bairro e com o perfil de seus moradores, uma família composta por artistas. “Foi o match perfeito”, brinca a arquiteta.