Conheça os ambientes da primeira edição paulistana da mostra Casa Na Toca

Ana Lourenço - O Estado de S. Paulo

Após duas edições no Rio de Janeiro, mostra chega a São Paulo com a edição Botânica

Com espaços lúdicos, mostra traz propostas de ambientes com o olhar infantil

Com espaços lúdicos, mostra traz propostas de ambientes com o olhar infantil Foto: Renato Navarro

Ao pensarmos na casa dos nossos sonhos, é comum que a imagem de uma morada acolhedora, com muitas plantas e espaço de sobra para receber a família e os amigos venha imediatamente à mente. Da mesma forma, ao escutarmos a expressão casa na toca, dificilmente algo lúdico e divertido não ganhe espaço em nossas cabeças. Pois foi justamente a partir da junção dessas duas ideias que surgiu a mostra Casa Na Toca que, após duas edições no Rio de Janeiro, chega pela primeira vez a São Paulo.

Como endereço na cidade, uma casa dos anos 50 com cerca de 500 m², em plena Avenida Brigadeiro Luís Antônio, no Jardim Paulista, que está de portas abertas até o próximo domingo, 13. “Nós passamos meses atrás da casa ideal para sediar a mostra. Sabemos que ela é um personagem fundamental para atingirmos o grau de realidade que buscamos, com ambientes que não se parececessem apenas um showroom”, pontua a jornalista Isabela Caban, que assina a curadoria da mostra ao lado da também jornalista Simone Raitzik, da designer Cris Barretto e da produtora Bruna Levinson.

Confira os ambientes da mostra:

Renato Navarro
Ver Galeria 28

28 imagens

Ao todo, a Casa na Toca apresenta 28 ambientes, produzidos por mais de 100 profissionais - de arquitetos a artesãos. Apesar da locação um tanto quanto urbana, a versão paulistana da mostra, tal qual imaginada por suas organizadoras, pouco contribui para que o visitante se sinta na capital paulista. A sensação geral é de se estar em uma casa no campo. "Pouco tivemos que mexer na estrutura do imóvel, tal a qualidade de suas  iluminação e ventilação originais, além da presença de revestimentos que se harmonizaram perfeitamente com o clima que buscávamos, tais como o piso de tábua de peroba do campo e as paredes de tijolinhos. A sensação é de realmente caminhar por uma típica casa de família", afirma Isabela, que incentivou os profissionais participantes a investirem em uma atmosfera de simplicidade, com destaque para o artesanal e as texturas naturais.

Como a maioria das mostras do gênero, cada ambiente traz uma proposta personalizada. Porém, a Casa Na Toca tem como diferencial a ideia de trazer o olhar infantil para a decoração: do simples canto de brincar até uma brinquedoteca completamente equipada. Ainda assim, são os pequenos detalhes que roubam a cena. São eles que garantem a leveza que emana dos espaços, além de oferecer preciosas dicas de decoração. "Existe um sentido de continuidade. Cada ambiente tem a ver com o outro, poderia ser uma família morando ali. Todos os cômodos conversam”, esclarece a promotora. 

O verde - onipresente tanto nos revestimentos, quanto nos muitos vasos - indica um conceito caro à mostra: o contato com a natureza. A ponto da presente edição ter sido batizada de Botânica e isso, não apenas pela atmosfera de urban jungle que reina na maioria dos ambientes, mas também pela profusão de imagens retratando a natureza, presentes nas almofadas, papéis de parede e objetos decorativos. Tudo, claro, devidamente acompanhado por materiais leves e naturais como a madeira, o macramê e as palhas. "A simples ausência de aparelhos de TV e de consoles de vídeogame, de certa forma já remete à natureza”, considera Isabela.

A tecnologia - ou a falta dela, aliás - é outra das apostas da mostra. Assim, a casa aboliu a cultura digital pelo feito à mão: brinquedos, artefatos de uso cotidiano e até livros. Na Casa Na Toca, são esses os objetos que conectam as crianças com o aqui e o agora, não as telas. Na mesma linha, a sustentabilidade é outra das preocupações da equipe. Para evitar plástico ou lixo desnecessário, o mapa para conhecer a casa fica disponível em QR code - na prática, a única tecnologia em uso - ou pode ser conferido em um adesivo colado apenas a algumas vigas.