Como a aromaterapia pode ajudar a acalmar em tempos de quarentena

Ana Lourenço - O Estado de S. Paulo

Óleos e ervas frescas auxiliam na concentração e controle do estresse em tempos de isolamento social

Flores em processo de secagem

Flores em processo de secagem Foto: Sabrina Costa

Lavanda para acalmar. Alecrim para energizar. Laranja doce para trazer alegria. São muitos os aromas que podem ajudar a enfrentar os sentimentos negativos que as notícias sobre o novo coronavírus podem trazer. “É importante lembrar que estamos em uma situação de crise, o que só aumenta a insegurança e o medo. Por isso, pessoas que nunca experimentaram ansiedade, por exemplo, podem desenvolver o sintoma. Aquelas que já eram ansiosas podem desenvolver um estado mais crítico”, afirma a psicóloga Celina Daspett.

O efeito dos óleos essenciais extraídos de plantas aromáticas e utilizados na aromaterapia produzem um efeito fisiológico que ameniza problemas físicos e emocionais. “Por meio do olfato, a aromaterapia mexe diretamente com o sistema límbico do cérebro, responsável pelas emoções. Por isso, é uma terapia que traz efeitos imediatos”, diz a aromaterapeuta Marcia Rissato. Ela diz que, em tempos como o que estamos vivendo, ao sentir um sintoma, basta inalar o aroma indicado para perceber seus efeitos. 

A profissional de relações públicas Jéssica Costa, que faz uso da terapia há cinco meses, lembra que é preciso conhecimento pessoal para notar as mudanças. “A percepção de resultados vai depender muito da percepção que cada um tem de si. Quando eu uso uma sinergia para simular foco e concentração, só vou perceber essa ajuda dos óleos essenciais quando estou no meio do processo. Depois de ter escrito boa parte de um texto, por exemplo.”

Existem duas formas de utilizar os óleos essenciais: com o difusor de ambientes ou massageando diretamente sobre a pele. “A planta dos pés é uma ótima porta de entrada para o óleo. Misture com óleo vegetal ou creme neutro antes de massagear”, explica Marcia. Outra opção é, durante o banho, colocar uma gota do óleo no chão e abrir o chuveiro – o aroma vai se espalhar pelo banheiro junto com o vapor.

Para momentos de introspecção, o óleo de laranja doce, conhecido como “óleo da alegria”, é o mais indicado. Extraído da casca da fruta madura, ele tem um aroma cítrico adocicado que acalma, traz disposição e limpeza energética. Já o eucalipto, quando massageado, é ótimo para circulação. Mas, ao ser usado como difusor, sem tocar a pele, melhora a respiração. 

Faça em casa

Para não precisar ir à farmácia de manipulação durante a quarentena, é possível utilizar plantas, ervas e temperos encontrados em casa. Trata-se da fitoterapia, que utiliza as plantas no seu estado natural para a cura. 

“Quando estudamos os compostos químicos das plantas, são vários grupos. A aromaterapia utiliza um grupo que carrega o óleo essencial da espécie; a fitoterapia utiliza outros compostos”, explica o naturopata, professor de fitoterapia na Universidade de São Paulo (USP) e diretor da Escola Brasileira de Naturopatia (Ebran), Daniel Alan Costa. “Fazer o uso de chás e infusão das espécies é uma alternativa para quem não pode sair de casa.” A fitoterapia em casa pode ser feita com especiarias (como a canela e o cravo) ou plantas.

A lavanda, por exemplo, pode provocar um efeito relaxante e também calmante. “Esfregue as mãos com um punhado da planta (flores ou galhos). Ela vai exalar imediatamente um aroma riquíssimo em propriedades”, recomenda Sabrina Costa, que é florista e proprietária do Die Blume Ateliê.

Já o alecrim, segundo ela, pode ser usado com os galhos frescos em um jarro com água, exalando naturalmente o seu perfume. Quando seco, é possível queimá-lo (assim como a lavanda) e usá-lo como incenso. “No processo de secagem seu cheiro é ainda mais forte”, diz Sabrina. 

É preciso, no entanto, estar atento às contraindicações. Apesar de trazer disposição e energia, o alecrim não é recomendado para pessoas com pressão alta. 

Outros usos

As espécies in natura podem ser usadas também para banhos, em que a planta é imersa, ou em chás. Além dos efeitos terapêuticos, muitas dessas plantas trazem benefícios cosméticos. “Quando misturado no xampu, o alecrim ajuda a combater a caspa”, indica Sabrina. Os óleos também podem ser utilizados de outras maneiras. “Eu costumo utilizar a combinação de óleo de lavanda com argila verde ou melaleuca com argila verde, por eu ter uma pele com mais tendência a acne. Cria uma máscara facial bacana”, relata Jéssica. 

Para quem está passando a quarentena em home office, a atenção e a disciplina passou a ser dobrada. Nesses casos, o alecrim (mais uma vez) pode estimular a memória. Segundo o naturopata Daniel Alan Costa, a reputação da planta como estimulante cerebral vem dos tempos da Grécia Antiga. “Naquela época, os estudantes, durante o período de provas, já usavam raminhos da erva no cabelo, pois perceberam que a essência conforta o cérebro, aguça a compreensão, restaura a memória perdida e desperta a mente.”

Outros óleos essenciais indicados para concentração precária e fadiga mental são menta e patchouli – este último, além de auxiliar na falta de concentração, alivia a ansiedade em condições relacionadas ao estresse. Já o tomilho branco ativa as células do cérebro, estimula a memória e favorece a concentração. “As propriedades ‘harmonizantes’ dos óleos essenciais vão oferecer um equilíbrio físico, mental e emocional duradouros aos trabalhadores. Nesse caso, a sugestão é inalar o aroma diretamente do vidro ou utilizar os colares aromatizadores individuais”, explica o naturopata.

A publicitária Sibele Monice costuma fazer uma mistura do óleo de alecrim com lavanda para ter mais disposição no trabalho. “Como eu trabalho muito com a questão da criatividade, me mantém mais alerta e disposta”, conta.

Outra opção para usar no home office é a canela. “Tem a capacidade de aumentar a atividade do cérebro. Quebre o pau de canela em pedacinhos, coloque em um recipiente e deixe no seu ambiente de trabalho”, indica a florista Sabrina. Também é possível colocar os pedaços para ferver – o que vai espalhar o aroma pela casa. Já o cravo é uma especiaria indicada para momentos de mudança. “Ele ajuda a encerrar ciclos e gera um sentimento de persistência.”

Orientação é importante

Ainda que não possa sair de casa, vale procurar um profissional (mesmo que seja online) para ter orientações sobre o uso correto da aromaterapia. O óleo essencial de canela, por exemplo, pode ser abortivo para gestantes, dependendo da quantidade e da concentração utilizadas. 

Para quem quiser pesquisar mais sobre o assunto antes de começar a usar as ervas, aplicativos como o Guia de Aromaterapia (em português, grátis; para iOS e Android); The Aroma App (em inglês, grátis; para iOS e Android) e ByNatural (em espanhol, grátis; para iOS e Android) trazem boas informações sobre cada óleo. Entre as instruções, como diluí-los e outras dicas que, muitas vezes, não vêm explicitadas nos produtos. As páginas emporiolaszlo.com.br e florafiora.com.br também oferecem informações detalhadas – e vendem óleos pela internet. 

Mesmo para quem ainda tem dúvidas sobre as propriedades da aromaterapia, deixar a casa aromatizada, por si só, pode aliviar angústias do período de quarentena. “O conforto interno e a sensação de bem-estar que a aromaterapia traz é algo que todo mundo está precisando. Vale a pena experimentar”, diz Sibele.

Conheça as funções de cada fragrância:

Marcelo Barabani/Estadão
Ver Galeria 8

8 imagens