Com entrada privada

Roberta Cardoso - O Estado de S.Paulo

Cozinha e lavanderia foram ampliadas e novo acesso aos quartos foi criado

Cozinha avançou 30 cm em direção a sala de jantar, o que permitiu melhor circulação e iluminação do espaço. 

Cozinha avançou 30 cm em direção a sala de jantar, o que permitiu melhor circulação e iluminação do espaço.  Foto: Cris Farhat

O apartamento de 70 m², localizado no bairro do Morumbi, seguia os padrões da época em que foi construído, no início da década de 90: os espaços eram razoavelmente amplos, mas a distribuição em planta era muito compartimentada. “Meus clientes queriam ampliar a cozinha e a área de serviço, que não era funcional o suficiente para o estilo de vida deles. Eles também chegaram com uma demanda que não é muito comum: criar um segundo acesso aos quartos, sem passar pela sala. Eles praticam esportes e gostariam de chegar dos treinos direto para o banho”, explica o arquiteto Luis Rossi, do Cota760, escritório responsável pelo projeto.

VEJA FOTOS DO PROJETO

Cris Farhat
Ver Galeria 6

6 imagens

Um pedido, de fato, pouco usual, mas que acabou por determinar uma nova dinâmica de funcionamento. A parede que dividia a sala de jantar da cozinha, por exemplo, foi retirada, o que possibilitou um acréscimo de 30 cm de espaço. O quartinho de serviços, que ficava entre a cozinha e a lavanderia, ganhou nova ocupação: metade virou escritório e a outra serviu para ampliar o espaço de serviço. “O corredor da cozinha era tão estreito que nem o carrinho de compras passava por ali. O espaço que avançou para a sala serviu para uma melhor circulação e também iluminação da cozinha, agora integrada ao living”, explica. 

Com marcenaria sob medida, foi possível a criação de armários e bancada, assim como um pequeno escritório. A serralheria foi usada para separar a cozinha destas áreas. “Desse jeito, resolvemos a questão do acesso aos quartos sem passar pelo living. Eles chegam suados dos treinos, entram pela cozinha, já tiram a roupa na lavanderia e entram no quarto para tomar banho”, detalha Rossi.

A nova configuração também exigiu a troca dos revestimentos, antes escuros, para tons mais claros, assim como a distribuição de outros pontos de cor, como o azul do nicho que abriga a geladeira. “Além de trazer a sensação de amplitude e aprimorar a circulação, as alterações tornaram o apartamento bem mais funcional”, finaliza o arquiteto.