Cinco dicas para encontrar o sofá ideal para sua sala

Marcelo Gomes de Lima - Especial para o Estadão

Como o investimento nesse tipo de móvel costuma ser alto, a procura pode exigir tempo, paciência e atenção aos detalhes

Da namoradeira aos modelos cama, sofás já foram desenhados para servir aos mais variados propósitos. Atualmente, além de acolher, eles devem, entre outras coisas, oferecer condições extras de conforto para prolongadas maratonas televisivas. Por tudo isso, antes de optar por um deles, existem detalhes que devem ser observados com cuidado. Não só para identificar o móvel ideal para cada ambiente. Mas também para propiciar a mais longa vida útil possível ao móvel.

“Desenho sofás há quatro anos e meu maior desafio tem sido conciliar o que eu desejo transmitir com o que o mercado pede. Olhando pelo lado técnico, a parte interna é a mais delicada, pois os valores envolvidos são elevados e o produto final precisa ter qualidade e acabamento impecáveis”, conta o designer Victor Vasconcelos, profissional à frente da marca Zeea, especializada na produção de estofados.

Sofá Lera, da Breentwood, tem número flexível de almofadas

Sofá Lera, da Breentwood, tem número flexível de almofadas Foto: Antonio Soto

De fato, se são muitas as questões vinculadas ao projeto do sofá, quem pretende adquirir um também tem muito a considerar. Para que sua compra seja, de fato, bem-sucedida – e, quando comparado aos demais itens da decoração, o investimento costuma ser alto –, a procura pode exigir tempo e paciência. Afinal, de uma escolha acertada, dependerá, não apenas a percepção estética, mas o próprio desempenho da peça no ambiente.

Para começar, o primeiro passo é ter claro o que você espera de seu sofá. “Para mim, o essencial é optar por um modelo que te atraia. Ficar preso às tendências ou a tecidos neutros te deixa muito limitado. Também acho importante não pensar apenas na durabilidade e no conforto. Comprar algo pensando que vai durar para sempre é ilusão, pois nossos gostos mudam”, considera o arquiteto Pedro Luiz De Marqui.

Ao contrário dele, porém, para a também arquiteta Eliane Ventura, o melhor a fazer é evitar compras de impulso. “As pessoas se concentram tanto no desejo de ter uma peça bonita e confortável, que se esquecem de observar questões que em pouco tempo farão toda a diferença. Um sofá precisa ter um ‘bom’ desenho, ou seja, precisa ter ergonomia eficiente para que o conforto aconteça – e se mantenha –, pelo maior tempo possível”, afirma ela.

Já para o arquiteto Ricardo Abreu é preciso ir além das aparências. “Como acontece com um colchão, é preciso atentar para a densidade do estofamento, que pode ser mais firme ou mais mole. Se o sofá for apenas para receber, por exemplo, uma densidade mais firme atende. Mas se o objetivo for um uso mais versátil como assistir à TV, ler ou relaxar, um assento mais macio é mais indicado.” 

Em um ponto, porém, todos concordam: o sofá não só é a peça mais importante na decoração da sala, mas dele depende o equilíbrio de todo o ambiente. Portanto, para acertar na sua escolha, vale a pena ficar atento a cinco aspectos essenciais capazes de otimizar ao máximo o seu investimento. Acompanhe nosso roteiro:

Sofá Sunset, da Odara, tem mesa lateral acoplada

Sofá Sunset, da Odara, tem mesa lateral acoplada Foto: Odara

Estilo de vida

Antes de mais nada, considere como o seu sofá será utilizado na maior parte do tempo. Apenas para receber visitas? Para estudar durante o dia e ver TV à noite? São essas perguntas que vão ajudar você a decidir a forma, a altura e o nível de conforto do móvel. Nessa fase, leve em conta também o uso pretendido a longo prazo e o tipo de revestimento mais propício, considerando, por exemplo, a presença de crianças e animais na casa.

Orçamento

Defina uma faixa de preço máxima para sua compra e, a partir dela, pesquise as opções na maior quantidade de lojas possível, considerando as possíveis ofertas, promoções, peças fora de linha e mesmo de segunda mão, desde que em bom estado. Muitas vezes, móveis com pouco uso podem chegar a custar até 80% menos do que um modelo novo. Além do que, muitas vezes, podem ter seu visual renovado por completo por meio da simples troca de revestimento.

Sofá Veeda, da Zeea, é outro que incorporou no design a mesa lateral

Sofá Veeda, da Zeea, é outro que incorporou no design a mesa lateral Foto: Vitor Vasconcelos

Modelo

Depois, é essencial decidir que tipo de sofá você deseja para o seu espaço, desde claro, que seja levada em consideração a área em que o móvel ficará inserido. Portanto, antes de ir às compras, esteja munido de medidas precisas, considerando um mínimo de recuo lateral e ainda a circulação geral no ambiente. Apesar de ser o seu preferido, nem sempre um modelo de três lugares pode ser o mais indicado para quem vive em um estúdio.

Tamanho certo

 Lembre-se de que o sofá deve orientar a montagem da sua sala, não sobrecarregá-la. Por isso, além do comprimento, considere a profundidade do móvel, bem como a altura do encosto em relação ao pé-direito. Meça não apenas onde o sofá vai ficar, mas também o caminho que ele vai percorrer até chegar lá. Verifique como seu sofá será entregue e se vem com embalagem adicional, para comparar essas medidas com as dimensões dos elevadores, portas e corredores.

Sofá Jo, da Zeea: preste atenção às medidas na hora da compra

Sofá Jo, da Zeea: preste atenção às medidas na hora da compra Foto: Vitor Vasconcelos

Revestimento

Por fim, o tecido que você escolhe para revestir seu sofá é tão importante quanto sua forma e estilo. A lã, por exemplo, é bastante durável e ótima para esconder manchas, mas é difícil de cuidar. Já as misturas sintéticas são mais fáceis de limpar. Assim como o couro, que além disso é mais durável, sendo ideal para quem tem animais de estimação. Seda e algodão são fibras também muito usadas. A seda, porém, é bastante sensível à luz solar, bem como ao uso intensivo.