Cimento queimado: curinga que agrada pela estética e custo-benefício

Ana Lourenço especial para o Estado - O Estado de S.Paulo

Confira dicas para aplicar e garantir o queridinho das decorações nos ambientes de sua casa

No projeto da arquiteta Sarah Bonanno e da sócia Mariana Cardoso de Almeida, do escritório Tria Arquitetura, as paredes de cimento queimado se espalham pelo living.

No projeto da arquiteta Sarah Bonanno e da sócia Mariana Cardoso de Almeida, do escritório Tria Arquitetura, as paredes de cimento queimado se espalham pelo living. Foto: Alessandro Guimarães

 

A demanda pelo cimento queimado cresce cada vez mais no mundo da decoração. A nova tendência agrada desde aqueles que anseiam por projetos rústicos até os que querem seguir uma linha mais contemporânea. Devido ao tom neutro do produto, a gama de opções na escolha das cores que irão compor o ambiente também é grande. É perfeitamente possível combiná-lo com cores vibrantes ou seguir uma linha mais cinza.

Inspire-se em fotos de projetos com o cimento queimado: 

Rafael Renzo
Ver Galeria 9

9 imagens

A solução despojada e moderna traz uma infinidade de texturas e cores. “A evolução é tanta que já existem alguns produtos prontos para aplicar com opções de pigmentos, para serem usados em área externas ou até mesmo dentro da água como, por exemplo, em fundos de piscina”, afirma a designer de interiores Flávia Campos. 

A versatilidade do cimento queimado é grande, podendo ser usado em bancadas, pisos, tetos e paredes. No entanto, o produto não é recomendado para os quartos, uma vez que sua superfície gelada pode esfriar ainda mais o ambiente. Segundo Flávia, o uso em banheiros, principalmente no interior dos boxes, também não é aconselhável: “o material pode reagir com xampus, sabonetes e outros produtos”. 

E se a beleza já atrai, suas outras qualidades convencem. Além de ser barato - as opções semiprontas variam de R$35 a R$200 - o produto é benéfico para o ambiente graças a sua durabilidade e por conta do material que é feito: uma base de cimento, areia e água. 

Entretanto, o cimento queimado exige alguns cuidados. “Mesmo tratando-se de um produto resistente é necessária a manutenção a cada três anos, onde é realizada uma aplicação de resinas acrílicas ou a base d´água que, além de tudo, evita sujeiras e diminui a porosidade da superfície”, afirma Flávia. Não recomenda-se também a aplicação do produto em cima de um piso totalmente liso pela possibilidade de atritos. “Para esses casos é necessário picotar o piso e depois fazer aplicação de uma massa de cimento de cola para, a partir disso, ele estar pronto para ser aplicado”, finaliza.