Quando bate o frio

Luciana Carvalho Especial para o - O Estado de S.Paulo

Tons terrosos, muitas lareiras, peles e mantas aos pés das camas: eis o cenário das edições paulistanas da Casacor

>Em uma área de 230 m², Edson Lorenzzo apresenta os quatro elementos da natureza no seu acolhedor Lounge de Entrada.

>Em uma área de 230 m², Edson Lorenzzo apresenta os quatro elementos da natureza no seu acolhedor Lounge de Entrada. Foto: Zeca Wittner

O calendário nacional da Casacor, faz com que a edição São Paulo aconteça em meados de junho, no final do outono. A luz natural que transborda pelas janelas é especial e a temperatura mais baixa ao anoitecer prenuncia a chegada do inverno. E foi nessas condições que o arquiteto Edson Lorenzzo resolveu receber seus convidados. Seu Lounge de Entrada exibe uma lareira em balanço, ladeada por três poltronas: duas mais rústicas, e outra, mais moderna com base giratória, da Dunelli. Como elemento de destaque, a pele de ovelha, que reveste dois dos assentos.

Na mesma atmosfera, A BC Arquitetos, convida a todos para entrar, se jogar no sofá, e, entre uma taça e outra de vinho, assistir a um filme com a lareira acesa. Tudo como se estivesse em casa. “A marcenaria do projeto foi toda desenhada por nós, incluindo o apoio para garrafas dentro da adega”, conta a arquiteta Camila Avelar, sócia de Bruno Carvalho no escritório.

Quentinha, a sala de Juliana Pippi traz um canto de leitura em tons crus, com um cesto repleto de mantas e um banco formado por pétalas de feltro, feitas à mão, 100% lã de ovelha, da designer Inês Schertel. Arrematando tudo, um tapete de tear, desenhado por ela e executado pela By Kamy. Mais sóbrio e invernal, a suíte de Marlon Gama contrasta com a suavidade da composição de Juliana. As paredes são forradas de tecido cinza chumbo, o tricô se espalha por almofadas e mantas, enquanto o edredom e seus dez travesseiros felpudos só reforçam a sensação. 

Os pequenos também ganharam seu espaço acolhedor na Casacor. O quartinho da MN Arquitetura e Interiores, repleto de tons terrosos, traz uma árvore de maçã com rede e uma horta toda de feltro, da Wool Design, para que a criança possa brincar sem perigo.

O clima ‘handmade’ ficou muito por conta da iluminação de pendentes feitos de macramê, da Macradecor, que se mistura a outros de linha da Bertolucci. “A gente fez uma mescla de materiais no projeto. Tem tecidos, peças feitas à mão de feltro, lã, crochê, tricô. Sempre em busca do calor que um quarto de criança pede”, diz a arquiteta Mayara Clá, mãe de primeira viagem de uma menina de 11 meses, que já testou o ambiente da mostra.

No Home Family da BC Arquitetos, os apoios para garrafas da adega têm um apelo escultural e, mesmo não estando repleta de garrafas, traz formas que dialogam com o ambiente.

No Home Family da BC Arquitetos, os apoios para garrafas da adega têm um apelo escultural e, mesmo não estando repleta de garrafas, traz formas que dialogam com o ambiente. Foto: Zeca Wittner