Casa nova para recomeçar

Marina Pauliquevis - O Estado de S.Paulo

Em uma nova fase da vida, a moradora deste sobrado em São Paulo apostou em pontos de cor na reforma

Para começar uma nova fase da vida, a proprietária desta casa no Jardim Europa, em São Paulo, queria ter um pouco mais de cor ao redor. E foi exatamente assim desde o início do projeto de decoração do imóvel, assinado pela arquiteta Eliane Mesquita. A mesa da sala de jantar, de um amarelo vibrante, deu a largada para a escolha de móveis e acessórios, que contou com a participação ativa da moradora. “Acho bom que o cliente participe desse processo. Gosto de fazer a casa realmente para quem vai morar nela.”

A partir daí foram surgindo itens novos, como os módulos dispostos na parede embaixo da escada vazada, que aparecem lado a lado com peças antigas colecionadas pela proprietária, como as cadeiras de Sergio Rodrigues, no jantar, e o cavalinho de carrossel, logo no hall de entrada. 

“Não quebrei nada da estrutura da casa durante o projeto, me dediquei mais aos interiores mesmo, aproveitando elementos que já faziam parte do imóvel, como o piso de madeira”, conta Eliane, que assina também a marcenaria e a iluminação dos ambientes. 

O living bem iluminado, com estar e jantar, é quase integrado à cozinha – apenas uma grande porta de correr separa os espaços. Conforme a ocasião vira tudo uma coisa só. Na cozinha, o contraste entre os armários de madeira clara e as pastilhas pretas conta com o reforço das cadeiras coloridas da Kartell, dispostas no balcão da ilha central. 

Um dos lugares mais usados da casa de 400 m² fica ali lado, em uma posição que une living e cozinha e garante a entrada de muita luz natural: um jardim interno, com paisagismo de Rodrigo Oliveira, usado com frequência no café da manhã e no almoço. “O sol da tarde não bate no jardim, então, o lugar está sempre fresco. A família usa muito”, diz Eliane, que escolheu peças Dedon para o espaço.

No estar, móveis que já eram da moradora foram aproveitados e até ganharam destaque com a companhia dos outros que chegaram, como as cadeiras com palhinha nas laterais e revestimento em tons de lilás, compradas na Etel, e as mesas de centro da Tora. No meio da sala também foi instalada a lareira de Monica Cintra. A estante desenhada pela arquiteta foi pintada de cinza, apenas com um detalhe amarelo, lembrando a mesa lá do início. 

Eliane e a cliente escolheram juntas uma peça marcante da suíte principal (uma das três da casa): a penteadeira antiga comprada na feira do Bexiga, na região central de São Paulo. Pintada de azul bem clarinho, ela ajuda a compor o clima romântico desejado para o cômodo, que tem ainda papel de parede de inspiração francesa e armários da Adresse. A antiga cadeira de barbeiro é mais uma das peças do acervo da moradora e foi apenas restaurada.

Fugindo um pouco do trabalho de decoração de interiores neste projeto, a arquiteta transformou outra pequena área externa do imóvel, no lado oposto ao jardim de inverno: com ofurô, chuveiro e deque de madeira, é um cantinho para relaxar. 

“A moradora optou por abrir mão de uma vaga de garagem para ampliar a área externa usado para o lazer da família. São dois espaços muito charmosos e bem aproveitados, mesmo com o pouco espaço disponível”, diz Eliane.