Casa no interior tem espaço de sobra para reunir toda a família no fim de semana

- O Estado de S.Paulo

Projeto em condomínio privilegiou a vista sem barreiras para área verde e espaços amplos e com decoração minimalista nos interiores

A piscina, para onde estão voltados todos os quartos, na casa com projeto das arquitetas do escritório Farah+

A piscina, para onde estão voltados todos os quartos, na casa com projeto das arquitetas do escritório Farah+ Foto: Inés Antich/Divulgação

Com um terreno de 3 mil m² de localização privilegiada em um condomínio no interior de São Paulo, o projeto desta casa teve como ponto de partida a ideia priorizar a vista sem barreiras. “Desde o início, queríamos que todos os quartos fossem voltados para a piscina e a área verde”, conta a arquiteta Larissa Dobes, sócia de Carol Farah no escritório Farah+.

Os proprietários – um casal com filhos pequenos – gostam de passar os fins de semana com toda a família reunida, daí a necessidade de ter um espaço amplo e que, ainda assim, favorecesse o convívio dos hóspedes. Nos 1.000 m² de área construída não falta lugar para receber as visitas com conforto: são seis suítes, ligadas, do lado de fora, por uma varanda com um discreto guarda-corpo de vidro. 

Siga o Casa no Instagram e use a hashtag #casaestadao

A grande área de estar integrada à varanda com cozinha gourmet é o ponto de encontro certo, como atesta a mesa de madeira maciça para oito lugares. Para dar mais unidade ao espaço, as arquitetas optaram por um piso cimentício em toda a área social. “Queríamos um piso mais rústico e que funcionasse dentro e fora da casa”, diz Larissa. Somente nos quartos, o material deu lugar a tacões de cumaru.

Outras madeiras ganharam destaque no projeto. Com exceção das áreas molhadas e corredores, a casa não tem forro e a estrutura de madeira do teto fica aparente, o que contribui para criar a sensação de que os já amplos ambientes são ainda maiores – só as esquadrias das portas de correr têm 2,70 m. “Abrir mão do forro amplia o pé-direito e a madeira aparente traz um acolhimento, uma lembrança de casa no campo”, acredita Larissa. Parte das fachadas foi revestida com pedra, também em busca de uma certa rusticidade. 

Curta a página do Casa no Facebook

Nos interiores a opção foi por uma decoração confortável e minimalista, favorecendo a livre circulação pelos ambientes. Uma exceção à neutralidade predominante nos móveis e acessórios, ladrilhos hidráulicos da Ladrilar com diferentes desenhos e cores dão personalidade aos banheiros. “Fomos com os moradores à fábrica e escolhemos juntos as estampas para cada espaço.”

Nos quartos, os móveis foram desenhados pelas arquitetas, incluindo as camas lúdicas das crianças. No quarto do menino há espaço para todos os amigos dormirem em apenas um móvel, feito sob medida. No cômodo da menina, as camas em forma de casinha escondem bicamas na parte de baixo. E, na suíte principal, com lareira e grandes portas de correr em duas das paredes, a vista, mais uma vez, é a protagonista. “Apesar do tamanho, a casa não parece tão grande de dentro, não só pelos materiais rústicos que deixam os ambientes acolhedores, mas também pela planta, que aproxima as pessoas.”