Casa na região serrana do Rio é construída com técnicas sustentáveis

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Projeto em Petrópolis, que leva a assinatura do arquiteto Sergio Conde Caldas, inclui spa e tira proveito da vista privilegiada

A fachada da casa projetada pelo arquiteto carioca Sergio Conde Caldas, vista a partir do portão de entrada

A fachada da casa projetada pelo arquiteto carioca Sergio Conde Caldas, vista a partir do portão de entrada Foto: Ándre Nazaré

O projeto Movimento Terras, um condomínio residencial situado em Pedro do Rio, no município de Petrópolis (RJ), idealizado pelo arquiteto carioca Sergio Conde Caldas e por seu sócio, João Sousa Machado, sempre objetivou, desde seus primeiros estudos, atender a uma clientela de gosto e hábitos sofisticados. Mas, nem por isso, menos comprometida com a questão da preservação ambiental. 

Primeiro imóvel implantado no empreendimento, esta casa de quatro suítes, construída para abrigar um jovem casal, se insere nessa perspectiva. Com 350 m², compõe um conjunto de cinco imóveis nos quais conforto, eficiência energética e racionalidade construtiva pretendem caminhar lado a lado.

"Cada etapa do projeto foi pensada de forma a aliar materiais de alto padrão a iniciativas de ordem sustentável”, conta Caldas, que se empenhou pessoalmente em capacitar fornecedores da região para que desenvolvessem componentes construtivos que tivessem em sua formulação ao menos 25% de materiais descartados ou reciclados. Além de implantar nas proximidades uma oficina exclusivamente para produzir telhas de concreto no lugar das tradicionais de cerâmica. “Para diminuir a emissão de dióxido de carbono na atmosfera”, explica. 

“Buscamos utilizar tudo o que havia disponível no mercado para ampliar a eficiência energética”, diz o arquiteto, que, além de equipar a casa com sistema de uso da água de chuva e painéis fotovoltaicos para a captação de energia, lançou mão de resgatou recursos ancestrais para ampliar as condições de ventilação e de luz natural. 

Assim, em qualquer hora do dia, os ambientes estão sempre bem iluminados. Suas amplas portas de vidro permitem que a luz penetre farta e a ventilação cruzada, que acontece por meio de venezianas articuláveis na parte superior da portas e do telhado, ajuda a expulsar o ar quente que sobe naturalmente. Com 8 mm de espessura, vidros especiais garantem iluminação plena, além de bloquear 45% do calor. “Isso tudo colabora para a diminuição do consumo de energia, gerando uma economia significativa”, considera Caldas. 

Do ponto de vista de sua distribuição interna, a casa, apesar de térrea, se espalha por pequenos desníveis, acompanhando a leve declividade do terreno. Em nível intermediário, o hall de acesso conduz diretamente ao living e à sala de jantar. A cozinha é parte integrante da área social, enquanto um jardim externo separa a área social da íntima, que concentra as suítes.

Como não poderia deixar de ser, todas as esquadrias empregadas na construção, bem como todos os revestimentos de madeira, contam com selo de certificação. O projeto de iluminação, equipado inteiramente com lâmpadas LED, consome cinco vezes menos energia se comparado a sistemas convencionais. 

“No projeto de interiores, a ideia foi oferecer o máximo de conforto, coerente com o que se espera de uma casa na serra”, afirma o arquiteto. Entre as exigências do casal, a construção de um spa completo, em edifício anexo à construção principal. “Para eles, que adoram estar com a família, trata-se de um lugar de convívio onde eles podem passar horas nos fins de semana. Uma espécie de válvula de escape para as atribulações do dia a dia”, comenta Caldas, que se mostra visivelmente satisfeito com a receptividade global do projeto.

“Foi tudo um grande aprendizado. Aprendemos fazendo. Hoje sabemso que podemos fazer casas mais eficientes, tanto na construção quanto na operação. Pretendemos replicar os conhecimentos adquiridos e, mais importante, depois de uma iniciativa como esta conseguiremos convencer nossos clientes de que é viável desenvolver um projeto sofisticado e que prime pela eficiência energética”.

Ándre Nazaré
Ver Galeria 11

11 imagens