Banhada de luz

Natália Mazzoni - O Estado de S.Paulo

Depois da reforma, a área social integrada tem espaço de sobra para reunir a família

Quando a arquiteta Paula Magnani foi convidada para tocar este projeto, no bairro do Morumbi, a casa já estava praticamente pronta, mas a área social ainda não era exatamente o que os proprietários, um casal com quatro filhos, desejavam. A solução, então, foi fazer com que os espaços do térreo fossem mais integrados, transformando living, jantar, home theater e espaço gourmet no coração da casa. “Percebi que o que faltava era criar uma ligação entre os espaços sociais. Para isso, foi preciso lançar mão de algumas mudanças estruturais, como integrar o home com o living e a sala de jantar, e também estruturar a área gourmet e da piscina”, diz a arquiteta.

A casa de 790 m² tem brinquedoteca, adega e cinema, mas o living é o espaço preferido da família. Com grandes janelas, portas de vidro e pé-direito duplo, o espaço recebe muita luz durante quase todo o dia, o que motivou a arquiteta a escolher móveis e revestimentos claros. Até o guarda-corpo da escada foi trocado por um modelo de vidro, que deixa a luz que vem de fora se espalhar por todos os cantos. “O único ponto escuro da decoração está no painel de madeira ebanizada do home theater, feito para camuflar o televisor. No restante da casa espalhamos cores claras, que valorizam a luz do sol”, comenta Paula. Uma porta de correr também foi instalada no espaço, para que o lugar pudesse ser isolado quando preciso.

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;

Para unificar os ambientes, a arquiteta usou piso de mármore, que vai da porta de entrada até a área gourmet, deixando espaço para a grama só em volta da piscina, desenhada para não ocupar muito espaço na área externa, mas satisfazer o desejo dos filhos. A área gourmet, por sua vez, é espaço reservado ao maior hobby do pai, o de fazer churrascos e receber os amigos. É lá que se concentram chapa, churrasqueira, frigobar e máquina de gelo.

O paisagismo, assinado por Gilberto Elkis, rodeia toda a casa, trazendo o verde para as janelas de vidro do jantar, e também para os fundos da área da churrasqueira, em um jardim vertical com sistema de rega automatizado.

A decoração, que prioriza móveis de linhas retas – como os sofás e poltronas espalhados por todo o living – foi feita de modo a agradar à proprietária, que pediu uma casa clássica, mas que não abrisse mão de toques contemporâneos. “Usei um estilo de inspiração mais clássica em peças secundárias, como no lustre da sala de jantar. Cada aspecto foi pensado para agradar a um membro da família. É uma casa projetada não só para ser bonita, mas também muito bem usada.”