Autoral e mais acessível

Roberta Cardoso - O Estado de S.Paulo

Em momento de expansão, Breton convida 12 estúdios para assinar sua nova linha

Banco Shelter, desenhado também por Jahara, leva linguagem moderna às áreas externas da casa.

Banco Shelter, desenhado também por Jahara, leva linguagem moderna às áreas externas da casa. Foto: Ruy Teixeira

A valorização e o reconhecimento do design nacional passa, obrigatoriamente, pelo aval do mercado, o que depende, em última análise, de sua acessibilidade frente aos consumidores. Atenta a esse movimento global, a Breton convidou 12 estúdios de design para compor sua nova coleção, que objetiva suprir algumas das lacunas contemporâneas. 

Trata-se de Bossa Nossa Breton Brasil, que reúne 40 peças para áreas residenciais, internas ou externas, criadas sob inspiração do tema ‘ vida em família’. “Convidamos profissionais de diferentes Estados e estágios de carreira, e demos a eles total liberdade para eles criarem. O resultado surgiu na forma de uma coleção abrangente e ainda assim acessível e coerente com a realidade dos cliente de hoje”, conta Anette Rivkind, diretora da marca. 

Responsável por criar três móveis da nova linha, o designer carioca Brunno Jahara vê a iniciativa com bons olhos. “Me agrada que a Breton passe a tomar o design como um fator diferencial em seus produtos. Acredito que investir em um time de profissionais como esse, comprometido com trabalhos mais autorais e independentes e, de certa forma, fomentar esse cenário é uma experiência que acrescenta ganhos não só para a marca, mas para o próprio design de interiores brasileiro”, diz. 

Igualmente satisfeita, Bianca Barbato, outra convidada, e autora de duas novas peças para a Breton, acredita que a iniciativa fortalece a profissionalização do design brasileiro e aumenta a sua visibilidade. No caso, em escala nacional. “É importante nos firmarmos como uma marca plural, que represente o design brasileiro de todas as suas regiões, manifestando tanto sua identidade, quanto suas diferenças”, explica o diretor criativo da marca, Daniel Pegoraro. Segundo ele, a estratégia se alinha com o atual momento da empresa, que além de oito lojas já em funcionamento, busca ampliar sua penetração no País por meio de novas franquias. 

“O trabalho do designer é também esse: trazer um olhar de fora para a empresa, renovando seus processos com a criatividade que ele possui. Uma associação que só pode resultar mesmo em produtos melhores”, conclui Jahara.

 

Assinada pelo o estúdio Mula Preta, a mesa de centro Maremoto, com entalhes de madeira natural.

Assinada pelo o estúdio Mula Preta, a mesa de centro Maremoto, com entalhes de madeira natural. Foto: Ruy Teixeira