Arquitetos dão dicas para aproveitar ofertas de reforma e construção

Priscila Mengue - O Estado de S.Paulo

Pisos, revestimentos cerâmicos e papéis de parede são apostas de especialistas para aproveitar remarcações

Arquitetos recomendam cautela na hora da compra 

Arquitetos recomendam cautela na hora da compra  Foto: Marcos Müller/Estadão

Se cautela é palavra-chave na hora de qualquer compra, quando se trata da aquisição de acabamentos de construção ela é ainda mais representativa, pois envolve decisões difíceis de reverter. Como diz a arquiteta Ana Luiza Almeida Prado Sawaia, uma torneira comprada sem planejamento, por exemplo, já limita a escolha da pia ou da cuba e, consequentemente, interfere em todo o ambiente.

“Cada espaço tem uma complexidade e, por isso, a pessoa tem que ter certeza de que a escolha vai funcionar”, afirma. Ana Luiza explica que, no caso de reparos e pequenas reformas, o resultado é mais fácil de visualizar, diferentemente de obras de maior porte e sem projeto. Além disso, caso o consumidor resolva arriscar, ele precisa levar em consideração que produtos remarcados costumam estar próximos de sair de linha. “Mesmo se a pessoa encontrar o mesmo modelo, por ser de outro lote, o tom pode variar” ressalta. 

Para o período de liquidações, a arquiteta recomenda apostar em papéis de parede e revestimentos cerâmicos. “Como eles são vendidos a metro, a economia pode ser significativa.” Pisos também são boas opções, mas ela recomenda comprar pelo menos uma caixa extra para remediar avarias e equívocos no cálculo da quantidade necessária.

Ela reitera que outros itens requerem cuidados de armazenamento que não compensam comprar com muita antecedência. “Pastilhas de vidro se soltam com a umidade, enquanto cimento, rejunte e outros produtos perecíveis se deterioram quando estocados em locais que não estão arejados ou em contato direto com o chão.”

O arquiteto Gustavo Calazans considera que temporadas de descontos são mais favoráveis para encontrar promoções em lojas de produtos segmentados, especialmente, do mercado de luxo. “Os home centers costumam seguir um calendário próprio, com festivais temáticas. Eles não têm uma agenda de renovação do estoque em janeiro e julho”, explica.

Na hora da pesquisa, ele indica ferramentas on-line, como o Bondfaro e o Buscapé, que permitem visualizar a variação dos preços nos últimos meses, comparar lojas e se inscrever para receber alertas caso o produto atinja o valor desejado. “Orçamentos dificilmente são fiéis, e o consumidor precisa levar em consideração que, no fim da obra, terá que abrir exceções. Então, todo investimento precisa ser ponderado.”

Confira abaixo uma lista com dicas do caderno Casa