Área externa com vida própria

- Impresso

Na zona sul de São paulo, quintal com piscina, cozinha e academia garante uso independente da casa

Na nova casa da família, a piscina recebeu pedra hijau, da Palimanan. O jardim foi feito em parceria com a paisagista Cynthia Azevedo

Na nova casa da família, a piscina recebeu pedra hijau, da Palimanan. O jardim foi feito em parceria com a paisagista Cynthia Azevedo Foto: Mario Bock/Divulgação

Quando a família chegou à nova casa, na zona sul de São Paulo, já era previsto que seria preciso lançar mão de uma grande reforma para as coisas ficarem como desejado. Quase tudo foi transformado, mas, para a alegria dos filhos do casal, havia espaço suficiente no jardim para manter a piscina – só a área nos fundos da casa tem 250 m². “Não só decidimos deixar a piscina que já existia, como achamos viável aumentá-la, fazendo com que esse fosse o ponto alto da área externa”, conta Natália Meyer, do MeyerCortez, escritório responsável pelo projeto que mexeu na casa por inteiro.

A piscina ganhou degraus construídos em sua estrutura, uma forma de escapar das escadas de metal, que, na opinião da arquiteta, poluem visualmente o ambiente e não são práticas. “Isso cria também espaços rasos onde as crianças podem brincar. Usamos esse mesmo desenho em uma outra piscina que construímos para funcionar como um spa, com hidromassagem”, explica a arquiteta. O revestimento, feito de pedra de vários tons esverdeados, completa o visual. “Agora, quando olho a piscina, tenho a impressão de ver a água de um rio, algo mais natural e orgânico do que o comum”, diz Natália.

Mario Bock/Divulgação
Ver Galeria 4

4 imagens

Como a ideia da família era aproveitar ao máximo toda a área externa, não só a piscina, a arquiteta planejou um espaço que funcionasse de forma independente da casa, com área de estar, sauna e academia. Ao final, tudo ganhou tons de casa de veraneio, até mesmo a cozinha, um dos lugares mais usados da casa, tem decoração divertida, com azulejos coloridos e revestimentos de madeira. O jardim, cheio de árvores frutíferas, convida os moradores a ficar cada vez mais por ali. “O espaço já tinha algumas árvores grandes, que foram mantidas. O que trouxemos foi limão, acerola, pitanga e amora. Na lateral da casa usamos caixas para criar um espaço organizado para uma pequena horta da família. Quando se está do lado de fora, em todos os cantos há algo para fazer.”

/ Natália Mazzoni