Aprenda a decorar a parede com quadros e lembranças

Natália Mazzoni - Impresso

Fotos e objetos de valor emocional ganham destaque emoldurados; veja dicas de especialistas

Na parede do living do apartamento de Celino Neto, composição de quadros com molduras neutras

Na parede do living do apartamento de Celino Neto, composição de quadros com molduras neutras Foto: Zeca Wittner/Estadão

Em um prédio dos anos 1940, em Higienópolis, um apartamento no subsolo do edifício se espalha por mais de 400 m². Sua varanda, voltada para o jardim, foi decorada para ser uma extensão do estar. Os objetos pendurados na parede são os mesmos que o morador tinha em sua antiga casa – pequenos quadros e objetos que guarda com afeto.

Na biblioteca, outra composição de quadros, com uma fotografia antiga de família que ganhou moldura nova, de laca. No corredor, um pequeno prato de cerâmica, comprado em uma viagem, é exposto em caixa de acrílico na parede, no mesmo formato em que está o pedaço de uma coluna que sobrou da demolição de um prédio do bairro. “Gosto muito da ideia de colocar nas paredes obras e objetos que fazem sentido para a pessoa. Não é só uma questão de decorar a casa, mas, sim, contar a história de quem mora nela”, afirma o arquiteto Celino Neto, responsável pelo projeto.

Em seu apartamento, em Perdizes, Neto usa a mesma lógica que costuma aplicar nos projetos que assina. Objetos de família, como um tabuleiro de xadrez e uma flor de metal que ganhou, foram para a parede do estar, junto com algumas obras de arte originais, como a assinada pelo amigo e especialista em molduras José Marton, com quem ele faz a maioria de suas montagens. “Percebo que as pessoas guardam muitas coisas e não têm ideia de como podem expor isso. Não é raro que os objetos fiquem escondidos em gavetas”, conta.

A arquiteta Renata Cáfaro também é adepta da ideia de ter suas recordações espalhadas pela casa. “Em um corredor da área íntima tenho uma galeria com lembranças de viagens, como o menu de um restaurante onde jantei em Nova York”, comenta.

No living do apartamento de André Diniz, proprietário da galeria Urban Arts, o que colore as paredes são os quadros que coleciona em composições de diferentes formatos. Na parede da copa, o fundo preto destaca as obras que estão dispostas como em uma galeria – ali tudo pode se transformar, já que ele gosta de trocar coisas de lugar.

Na casa da diretora de marketing criativo Mônica Humphreys, a parede da lareira do living também está sempre em movimento. “Às vezes chega um quadro novo e recoloco todos para encaixá-lo. Tem artes digitais, alguns originais, fotos e pequenos objetos da família”, conta. Para que tudo fique mais harmonioso, ela segue uma linha de pensamento. “Escolhi usar artes com fundo e molduras brancos. E quase todas as obras passeiam entre o branco, o preto e o azul. Dessa forma, consegui fazer um fundo com muitas artes e ainda assim deixar a obra central, que é original, aparecer e brilhar mais.”

Inspirado a fazer o mesmo? Confira em nossa galeria de fotos inspirações para montar composições para as paredes de casa. E fica a dica: regras não existem. “Tudo pode ser bonito quando conta uma história. É só olhar para as coisas com carinho e ter vontade de valorizá-las”, diz Neto. 

Valorize sua composição

Dá para misturar molduras diferentes na mesma parede?

Você pode escolher a moldura a partir de uma das cores predominantes na arte. Se usar uma cor contrastante, o resultado é mais ousado. “Em uma parede cheia de quadros, pode-se uniformizar as molduras ou usar cores que dialoguem. Molduras de madeira, pretas ou brancas sempre vão bem com outras coloridas. Para destacar uma obra, vale usar as molduras do tipo caixote, que criam uma espécie de vitrine para a arte”, aconselha a diretora de marketing criativo Mônica Humphreys.

O que podemos combinar na mesma composição?

Para quem tem medo de ousar, é bom sempre ter um fio condutor, de cores, por exemplo. “Adoro a ideia de usar fotos clássicas, de família. Coloque uma boa moldura, para valorizar a foto como uma obra de arte”, ensina arquiteto Celino Neto.

Como destacar uma obra original em meio a outras?

Ela pode ficar no centro ou um pouco deslocado do resto da composição. “Isso cria a sensação de que todas as outras obras vêm depois dela”, comenta Mônica.

Como fixar os quadros?

Caso a parede seja frágil, colocar pregos e parafusos pode não ser uma boa opção. Nesse caso, use fitas adesivas dupla face – mas tem de ser daquelas para esse uso específico. “Apoiar as obras em um trilho permite ao morador brincar com a decoração incluindo novos quadros e mudando a ordem quando quiser”, indica o arquiteto Gabriel Ceravolo.

Como conservar os quadros?

“Não deixe as obras em lugar com muita incidência de luz solar nem em áreas muito úmidas sem a devida proteção. Existem vidros com proteção UV que refletem apenas 0,5 % da luz, permitindo máxima nitidez. Além disso, esse vidro absorve radiação, protegendo as obras dos danos causados pela luz”, alerta Erica Andrade, da Moldura Minuto.

Onde os profissionais fazem suas molduras

Capricho Molduras: 

Av. Angélica, 2.154, Higienópolis. Tel.: (11) 3159-3159 

Marton Estúdio

R. Cônego Vicente Miguel Marino, 286, 6º andar. Tel.: (11) 2666-5555

Moldura Minuto:

R. Rouxinol, 605, Moema. Tel.: (11) 2339-2919

Fast Frame:

Al. Gabriel Monteiro da Silva, 2.121, Jd. Paulistano. Tel.: (11) 5687-2516

Arte Própria: 

R. Turiassu, 1.259. Perdizes. Tel.: (11) 3864-2971 

Syl Arte: 

R. Marquês de Itu, 155, República. Tel.: (11) 3362-0497

Casa das Molduras: 

R. Maria Domitila, 112, Brás. Tel.: (11) 3362-1745

Modulak Molduras:

R. Artur de Azevedo, 2.007, Pinheiros. Tel.: (11) 3815-3488

Glatt & Ymagos:

Rua Francisco Leitão, 128, Pinheiros. Tel.: (11) 3085-3188