Antítese de Uma Casa

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Em residência na Itália, móveis e equipamentos se fundem à arquitetura, num bem estudado jogo de volumes

Para muitos, projetar o espaço doméstico tem sido um exercício de delimitação: da planta aos móveis, dos revestimentos à iluminação, tudo conduz à leitura imediata, à identificação inequívoca de cada ambiente. Tudo o que o arquiteto Simone Micheli evitou no projeto da casa da família Bussotti, em Venturina, nos arredores de Livorno, Itália.

Tomados não como volumes a mobiliar, mas como fragmentos de arquitetura, cada ângulo da residência de um casal de meia idade e seus dois filhos adolescentes traz uma surpresa. Não mais que sugerindo a função para o qual foram destinados, móveis e equipamentos se fundem à arquitetura e assumem uma dimensão não esquematizada no cotidiano doméstico.

Imersa em simplicidade, a casa se reduz ao essencial: móveis, só os necessários. Acessórios decorativos, com exceção dos lustres de cristal da Lolli & Memoli no espaço de refeições, foram praticamente banidos. "O novo luxo, nos interiores, está ligado à vontade de se retomar a intimidade das sensações. Mais à transparência do que à opulência", diz Micheli.

Engana-se quem espera detectar traços de reducionismo no trabalho do arquiteto. Amplos, arejados e bem iluminados, seus espaços se revestem de uma magnificência rara, considerando-se as dimensões do projeto residencial: pouco mais de 180 m². Uma qualidade única, feita não de redundância, mas de um bem estudado jogo de volumes, de cheios e vazios.

Logo na entrada, o hall surge como uma síntese cênica. De um lado, a elegante escada, que se eleva como uma escultura, em movimento curvilíneo. Ao fundo, uma "não cozinha" se integra ao espaço de refeições e dispensa divisórias. "Múltiplos armários escondem todos os equipamentos. Cabe ao morador decidir por sua presença, ou não, no ambiente", diz o arquiteto.

Portas - ou não portas - dissimuladas em paredes laqueadas escondem surpresas: ora funcionam como armários, ora como acesso aos ambientes. Até mesmo o pequeno lavabo guarda segredos: com forma elipsoidal, tem louça Block Plus, de corian, desenhada pelo arquiteto para a Planit, e parede estampada, revestida de laminado plástico pela Liri.

O parapeito da escada, de vidro temperado, executado pela Vetreria Nutini, assume ares de escultura e dele se descortina a visão da ampla sala, mobiliada apenas com dois elegantes sofás Quadra, design de Pierluigi Cerri para a Poltrona Frau, que contrastam com o verde-limão intenso da parede dos fundos.

O quarto do casal tem cama de aço, da Adorni & Cambogi Serini, e parede frontal revestida de espelho: mais um armário, que deixa à vista a tela plana. Irônicos e divertidos, mas funcionais, os quartos dos filhos têm piso de resina estampada, em padronagens vibrantes, da Iridea. "Prefiro falar de ?não casas?. De hábitats onde a personalidade do morador possa emergir e retomar o contato consigo mesmo e com um tempo no qual tudo era mais simples, mas nem por isso menos instigante", diz Micheli.