Acervo pessoal

Marcelo Hermsdorf - Especial para o Estado

Armários e prateleiras extras funcionam para quem gosta de exibir lembranças dentro de casa. Conheça esse apartamento feito para um médico que adora viajar

Dispor de prateleiras, gaveteiros e nichos em número extra na casa é uma providência essencial para quem gosta de guardar e expor suas recordações. Foi este o desafio da arquiteta Luciana Tomas, ao projetar o apartamento de um médico recém-formado, de 28 anos, que não abre mão de trazer lembranças de suas viagens.

Prateleiras e armários na sala reservam espaço para guardar e expor as lembranças

Prateleiras e armários na sala reservam espaço para guardar e expor as lembranças Foto: Ines Antich

“Ele queria decorar o apartamento com as coisas que gosta. Ele é muito apegado a seu acervo, de forma que tive de dar prioridade à questão do armazenamento”, conta Luciana, que concluiu a reforma do imóvel de 105 m², situado no bairro do Brooklin. “Além disso, sua única exigência foi dispor de ambientes amplos e bem iluminados, para receber os amigos, a namorada e a família.”

E foi assim que, passados seis meses do início da reforma, o apartamento ganhou feições bastante diferentes. “Era tudo muito segmentado e pequeno”, conta a arquiteta, que, como primeira providência, decidiu eliminar as paredes que separavam os ambientes. 

Cozinha, sala de estar e varanda, por exemplo, foram totalmente integradas. “Criamos ainda um escritório que fica recuado entre a sala e o quarto. Mantivemos um dormitório de casal e um para hóspedes”, explica. Dois banheiros se transformaram em um único bem maior com bancada de aço inox.

Os móveis foram encomendados de madeira freijó linheiro e laca fosca cinza. Uma parte foi feita em marcenaria e outra, em uma marca de planejados. Na área onde ficam a churrasqueira e o bar, o ladrilho hidráulico com desenho geométrico da parede é alvo de todas as atenções. “O piso de porcelanato cinza brilhante foi um pedido do cliente. As paredes com textura de concreto e piso na mesma tonalidade contrastam com a cor da madeira escolhida”, pontua Luciana. Na cozinha, reina a neutralidade com paredes revestidas de azulejo branco. 

Já no quarto menor, a ideia foi tornar o ambiente multifuncional, para que ele pudesse ser utilizado como dormitório, sala, ou mesmo apenas para relaxar. No mais, tudo é muito neutro e simples, já as cores mais vibrantes surgem nos detalhes. “Tapete e algumas almofadas azul-turquesa, na sala, e na suíte do casal detalhes em ferrugem no quadro”, completa.