Aberto ao novo

Natália Mazzoni - Impresso

Reforma atualiza espaços sem abrir mão do charme do antigo em apartamento de 180 m2 em Higienópolis

Apartamento em Higienópolis foi reformado pela Vapor 324 e a arquiteta Nina Morelli

Apartamento em Higienópolis foi reformado pela Vapor 324 e a arquiteta Nina Morelli Foto: Zeca Wittner/Estadão

Janelas enormes, pé-direito alto, boa ventilação. Este apartamento de 183 m² fica em um daqueles prédios clássicos de Higienópolis: construído em 1943, está bem conservado e mantém uma boa dose de charme. Mas, para que tudo no imóvel ficasse apropriado à rotina dos novos moradores – um casal jovem –, foi preciso fazer uma reforma que ajustasse espaços e reparasse alguns itens que não estavam em tão bom estado, como as instalações elétricas e o piso de madeira já um pouco desgastado.

A obra, assinada pelo Vapor 324, escritório de arquitetura, audiovisual e design gráfico, em parceria com a arquiteta Nina Morelli, começou derrubando a parede que separava a cozinha da sala de jantar. A área de serviço perdeu um tanto de espaço para a cozinha, que agora está mais bem iluminada e com piso novo, de ladrilho hidráulico em formato hexagonal, além de uma ilha com cooktop. Esse mesmo ladrilho aparece na varanda, ambiente que, como um hall, recebe quem entra na casa. “Adoro a ideia de a varanda ser a porta de entrada. Pintamos de azul o caixilho de ferro que separa o espaço da sala e a porta está sempre aberta, o que faz com que tudo seja uma coisa só”, comenta Nina. O mesmo azul foi para o caixilho da janela atrás da bancada com pia da cozinha, estrutura que antes fazia parte de um corredor da área de serviço agora incorporado ao ambiente.

Durante a obra, que durou cerca de três meses, foram refeitas as instalações elétricas e hidráulicas. O piso, de tacos de madeira, foi lixado, e um dos três quartos foi aberto e transformado em sala de TV. “Descascamos a parede e pintamos os tijolos de branco. São peças grandes, diferentes das usadas na maioria das construções atuais. Os tacos também puderam ser lixados por serem antigos, bem mais grossos que os fabricados hoje”, explica Thomas Frenk, um dos arquitetos do Vapor 324.

Reforma pronta, boa parte dos móveis foi comprada especialmente para a nova casa e contribui para o clima leve e descolado que o lugar tem hoje. As paredes, repletas de quadros, guardam obras que fogem do lugar comum, como a fotografia de Pablo Saborido e a arte da polonesa Ma?gorzata Gurowska, na sala de TV. “É um pouco da linguagem que temos no Vapor 324, algo que passeia entre a arquitetura e o design gráfico”, diz Frenk.

Na área íntima, um dos quartos virou escritório com duas mesas para o casal e a ampla suíte, de onde se avistam outros prédios do bairro, tem uma varanda com ducha e plantas. Na reforma, foi preciso apenas trocar o piso dos quartos, que antes era de cimento queimado e agora tem o mesmo padrão de tacos do living. Com todas as janelas abertas, a suíte se enche de luz e a ventilação é perfeita – um convite a ficar um pouco mais por ali mesmo.