A moda mora aqui

Suzy Dissat - O Estado de S.Paulo

A estilista Isabela Capeto customiza seu apartamento de 200m2, na Lagoa

A estilista Isabela Capeto compra muito mais objetos para casa do que roupa. E gosta tanto de decoração que pensa em produzir uma linha para casa. Trabalhando com moda há 15 anos, ela explodiu no mundo fashion há quatro - já está na sétima edição do São Paulo Fashion Week. Mesmo em meio ao corre-corre da preparação do último desfile, permitiu ao Casa& conhecer como vive no Rio de Janeiro.Avista é de cartão postal, a Lagoa Rodrigo de Freitas, e o apartamento de 220 m², originalmente com quatro quartos e todo compartimentado, parece maior ainda com as mudanças feitas pelo arquiteto Beto Figueiredo, que demoliu tudo e reposicionou os cômodos - obra conduzida por João Pedro Bailly. "A idéia era ter a parte social integrada e isolar somente a área de serviço. Fiz então paredes móveis, que podem criar ou unir os ambientes", explica Beto. "Assim, um dos quartos que faz parte do living também é escritório: quando chega hóspede, uma porta-biombo transforma o espaço em dormitório, com banheiro completo."A estilista conta que levou dois anos procurando o imóvel e, quando encontrou, chamou o amigo para fazer a reforma. "A cozinha aberta era indispensável, porque recebo muito e gosto de cozinhar para os amigos."A grande e acolhedora cozinha é, mesmo, cheia de detalhes. A começar pelo uso de materiais. O piso anterior, que era de peroba-do-campo, foi retirado e reutilizado para revestir a ilha central e os armários, além do banco que corre paralelo às janelas do living. O piso atual é de tábua corrida de peroba-mica (7 cm de largura, cerca de R$ 109,25 o m² sem colocação, na Serraria Boa Vista) e um tampo de mármore branco cobre a ilha - onde fica o fogão - e serve de mesa para refeições ou bar, rodeado de bancos que já tiveram outras funções (de bar, de piano e de dentista). Para livrar o ambiente do cheiro de frituras, há um exaustor profissional (Exaustar; de 1,40 m x 1 m, por cerca de R$ 5.175); e, para os bifes do dia-a-dia, um outro fogão, na área de serviço. Mas é o acúmulo de objetos (panelas, por exemplo, que estão penduradas em varal de aço feito com ganchos - da Metalúrgica Sena, R$ 345 o m) e a maneira como são expostos que encanta - uma característica de toda a decoração da casa.Peças customizadas Quando os amigos vão para a sala de jantar, por exemplo, encontram peças cult: o quadro de Adriana Varejão, de azulejos pintados (e plantas alucinógenas como tema); a mesa e as cadeiras assinadas por Sergio Rodrigues; as peças herdadas que ficaram com outra cara depois de customizadas pela estilista. E na estante que atravessa o living há todo tipo de objeto. Detalhe: as folhas de um livro de moda coladas em papel pluma, com estampas de roupas antigas (de 1490 a 1800), que Isabela transformou em miniquadros.O living tem sofás da Wick Estofados, com capas cujas bainhas foram bordadas no ateliê de Isabela, e uma grande cama, perfeita na hora de admirar a paisagem e/ou abrigar hóspedes. Ainda nesse cômodo foi montado um microescritório, com cadeira de Charles Eames (de Hetty Goldberg; em couro, R$ 2.652). Por toda a parte, há (boas) surpresas. No hall, um espelho veneziano ganha a companhia de pimentas e do quadro espelhado de um hotel, do antiquário Duque, de Petrópolis. Os irreverentes toy arts integram-se ao resto dos bonecos, objetos trazidos de viagem e a memorabilia acumulada há anos. Os banheiros são praticamente iguais. "Acho cafona cada um ser de um jeito", diz a dona da casa. As portas com vidros têm brise-brise de tecido bordado, outra criação de Isabela (e do seu ateliê). O projeto de iluminação leva a assinatura de Inês Benévolo.E já que o Casa& invade o quarto do casal, é bom que se diga que ele tem um clima quase monacal mais uns toques de fada: a colcha foi feita de retalhos de tecidos do Espaço Multi e, acima da cama, há quadros comprados no México. Entre tantas cores, a fantasia vai longe e chega mesmo a ouvir o coro de mariachis.