A moda de vestir o lar

Marcelo Lima - O Estado de S. Paulo

Expo Revestir traz soluções, tendências e novidades sobre pisos, cerâmicas e porcelanatos

Revestimento cerâmico Crema, da Savane, com efeito 3D. Com formato 38 x 74 cm, as placas são indicadas para paredes internas e externas

Revestimento cerâmico Crema, da Savane, com efeito 3D. Com formato 38 x 74 cm, as placas são indicadas para paredes internas e externas Foto: Savane

Conhecida como a Fashion Week da construção, a já tradicional Expo Revestir chega à sua 18ª edição reunindo mais de 200 expositores dos setores de revestimentos cerâmicos, metais sanitários e afins. A expectativa é de atrair mais de 60 mil visitantes, em seus quatro dias de realização – aberta na última terça-feira, 10, até hoje, sexta-feira, 13, quando a feira termina.

Apesar de inusitada, a associação do evento com o mundo da moda tem lá sua razão de ser. Afinal, se tomada como um corpo, toda construção, uma vez concluída, acaba tendo de ser “vestida”. Tanto para se proteger das intempéries e da ação do tempo, quanto para se apresentar bem – ou mesmo se destacar – em relação às outras. 

Assim, a cada ano, a feira paulistana traz soluções para revestir superfícies que vão do piso ao teto, sem esquecer, claro, das paredes, sejam elas para os ambientes internos ou externos. A variedade de padrões, cores e estilos é imensa, mas existem sempre algumas opções recorrentes, presentes com maior ou menor variação, na maioria dos expositores. Tal qual ocorre nas semanas de moda ao redor do mundo.

Principal tendência da temporada, nesta edição a inspiração retrô ressurgiu com força. O visual de algo antigo, mas que, de fato, foi feito ontem, voltou à cena, por meio de porcelanatos reproduzindo pedras desgastadas, azulejos com incrustações, pisos simulando caquinhos, além de diversas versões de cobogós – peça cerâmica vazada empregada na construção de divisórias – que ganharam formas e materiais alternativos.

Confira algumas opções: 

Adamá
Ver Galeria 7

7 imagens

Com um pezinho no passado, trata-se de uma estética que se aventura pelo ultrapassado e até pelo fora de moda, mas que agrada por unir o melhor de duas épocas: a reconfortante aparência do velho e o melhor da tecnologia atual, capaz de oferecer produtos de alta performance, resistência e durabilidade. Conheça melhor cada produto e confira aqui as nossas apostas: 

Cerâmicas

Se dividem, basicamente, em esmaltadas, que oferecem possibilidade de uso mais geral, tanto em fachadas como em pisos, e monoporosas, especialmente desenvolvidas para o uso em paredes internas, em razão de sua alta absorção de água. Podem ter acabamento liso, acetinado ou brilhante, com relevo e rústica. Nos últimos anos, a impressão em alta definição, HD, ampliou consideravelmente as possibilidades de decoração de suas superfícies.

Porcelanatos

Apesar de semelhante, se difere da cerâmica por sua composição e fabricação. Ao contrário dela, composta por uma mistura de argila e alguns minerais, é feito de porcelana e, além disso, sua temperatura de queima pode chegar a 1.200 graus, o que lhe confere resistência superior e nível de absorção de água muito baixo. Em sua versão natural, não possui brilho, o que o torna especialmente indicado para ser aplicado em locais com grande circulação de pessoas. Uma vez esmaltado, pode apresentar superfície lisa, acetinada ou brilhante, com relevo e rústica, o que oferece diversas possibilidades de uso, em pisos e paredes, internos ou externos. Esse tipo de porcelanato pode receber impressão HD e ainda ser polido, o que garante brilho intenso e alta reflexividade. Por sua alta resistência, pode ainda ser encontrado em placas com tamanho superior a um metro.

Pastilhas

Disponíveis em uma grande variedade de cores, acabamentos e pequenos formatos, do quadrado ao sextavado, oferecem aplicação rápida e fácil, uma vez que são entregues em placas. Resistentes, podem ser colocadas nos mais diversos tipos de ambientes, além de serem ideais para revestir fachadas e piscinas.

Peças especiais

De fácil moldagem, a cerâmica se adapta bem aos mais diversos formatos, dando origem a peças componíveis como cobogós, mosaicos e apliques, indicados tanto para funcionar como divisória entre ambientes quanto para revestir paredes internas e fachada