É tempo de cerejeira

Natália Mazzoni - O Estado de S. Paulo

A delicada flor aparece uma vez por ano e dura poucos dias; agora é a hora de ter um arranjo com ela em casa

Arranjo da A Bela do Dia, com cerejeira , repolho ornamental, calas negras e boca-de-leão

Arranjo da A Bela do Dia, com cerejeira , repolho ornamental, calas negras e boca-de-leão Foto: Zeca Wittner/Estadão

Todos os anos, entre março e abril, as cerejeiras florescem no Japão. A contemplação da beleza dessas flores tão delicadas tem até nome: hanami, prática geralmente acompanhada de um piquenique sob a copa das árvores. Em São Paulo, os galhos escuros da árvore ganham flores cor-de-rosa entre julho e agosto. “Assim que as vimos na feira de flores da Ceagesp este ano compramos para todos os nossos assinantes receberem em casa um arranjo só com elas”, diz Marina Gurgel Prado, da floricultura A Bela do Dia. 

Para o Casa, Marina combinou galhos de cerejeiras com cravos, repolho ornamental, folhas de eucalipto, crisântemos e anastácias. Na Fulô, da florista Daniela Laloum, o cor-de-rosa prevaleceu na escolha das outras flores da produção. Segundo Marina, vale usar o que tiver à mão. “As cerejeiras são lindas por si só, não precisam de muito. Continuam belas até quando se soltam dos galhos e caem ao redor do arranjo.” 

Zeca Wittner/Estadão
Ver Galeria 4

4 imagens

Para contemplar

Realizada anualmente no Parque do Carmo (Av. Osvaldo Pucci, s/nº, Itaquera), a Festa das Cerejeiras celebra a floração das árvores plantadas pela comunidade japonesa da zona leste da cidade. As flores duram apenas uma semana. A festa, com programação cultural e venda de mudas, será nos dias 5, 6 e 7 de agosto – sexta, das 12h às 17h; sábado e domingo, das 9h às 17h. Organizado pela Federação Sakura e Ipê do Brasil em parceria com a Prefeitura de São Paulo, o evento oferece ônibus gratuito que sai da Estação Corinthians-Itaquera para o Parque do Carmo.