Móveis de papelão ganham espaço na decoração

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Resistentes e versáteis, peças são ideiais para compor uma ambiente descontraído, sem gastar muito

Luminária Elipse, por R$115, na Crafta

Luminária Elipse, por R$115, na Crafta Foto: Divulgação

A primeira vez em que a empresária Daniela Bueno se deparou com um móvel de papelão foi em uma feira de arte em Madri, em 2006. “Me apaixonei na hora e tão logo voltei ao Brasil comecei a colocar em prática a ideia de produzir também por aqui”, conta ela, desde 2009 à frente da Crafta.

Hoje, uma manufatura de móveis estabelecida, com duas unidades de produção em São Paulo, uma em Guarulhos e outra em Arujá, além de um showroom na Vila Madalena. “No começo, a resistência era alta. As pessoas se encantavam com as peças, mas se sentiam inseguras em relação à resistência delas, principalmente ao peso”, comenta.

Contornada a impressão inicial, quem opta por um móvel do tipo não tem tido do que se queixar. “NossOs produtos foram projetados para funcionarem como os similares de outros materiais, como a madeira. Logo, a resistência é equivalente”, conta Daniela, que assegura que suas cadeiras suportam até 120 kg e as mesas, 200 kg.

Siga o Casa no Instagram e use a hashtag #casaestadao

“As peças de papelão agradam em cheio. São de fácil montagem, armazenamento e até de descarte”, comenta a empresária, que destaca a variedade de cores e modelos, além da atrativa relação custo-benefício. Uma estante sanfonada, por exemplo, sai por R$ 295; um pendente tamanho grande, por R$ 115. 

Atualmente, a Crafta tem mais de 60 produtos em catálogo, entre móveis básicos – bancos, cadeiras e mesas –, sanfonados, tubulares e linha pet, com cama e arranhador para gato. Sustentáveis, as peças são feitas com matéria-prima proveniente de áreas de reflorestamento e, em alguns casos, com papelão reciclado.

Divulgação
Ver Galeria 5

5 imagens