Empresas e designers do primeiro time voltam suas atenções para a criação de móveis infantis

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

Marcas italianas incluem em seus catálogos peças pensadas exclusivamente para as crianças - utilitárias, mas também divertidas

O designer Oki Sato, do estúdio Nendo, em seu cavalinho de acrílico feito para a marca italiana Kartell 

O designer Oki Sato, do estúdio Nendo, em seu cavalinho de acrílico feito para a marca italiana Kartell  Foto: Divulgação

Tudo começou quando o empresário Eugenio Perazza, fundador da Magis, uma das empresas líderes do segmento de alto design da Itália, resolveu presentear sua neta de 5 anos com uma mesa para desenhar. Folheando catálogos, ele percebeu que não havia móveis desenhados especificamente para atender a essa faixa etária. E, a bem da verdade, nem ao redor dela. 

“Não estava a procura de móveis em escala reduzida, mas em design para crianças. Na hora percebi que existia um nicho a ser suprimido”, comenta Perazza, que criou em 2004 a linha Me Too de mobiliário e acessórios. Peças criadas por designers consagrados, especificamente para o público infantil.

“Procuro estimular os profissionais a verem o mundo através dos olhos de uma criança. Esse é o melhor caminho”, afirma o empresário, que, desde então, mantém em catálogo produtos voltados para o segmento que levam a assinatura de Javier Mariscal, Enzo Mari e Philippe Starck, entre outros. As cadeiras Trotter, com roda para transporte, de Rogier Martens, e a Little Big, que pode ter sua altura ajustada conforme a criança cresce, do estúdio Big Game, estão entre os lançamentos apresentados no Salão do Móvel de Milão, em abril passado.

Siga o Casa no Instagram e use a hashtag #casaestadao

Para alegria dos pequenos, não se trata de uma iniciativa isolada. Em anos recentes, a clássica Elephant Chair, criada em 1945 pelo casal Charles e Ray Eames, de compensado curvado, foi relançada pela Vitra em polipropileno. Assim como a série Zoo de relógios, de 1965, assinada por George Nelson. Sem falar da Kartell, a gigante dos plásticos, que lançou este ano sua primeira linha de produtos voltados para o mercado infantil. 

“Nosso móvel para crianças pioneiro, a cadeira 4999, projetada por Marco Zanuso e Richard Sapper, em 1964, não só foi um dos primeiros produtos da nossa linha ‘habitat’ como foi um dos primeiros móveis de plástico criados especificamente para o público infantil no mundo”, conta o presidente da empresa, Claudio Luti, que, meio século depois, acredita no potencial de produtos para essa fatia do mercado, segundo ele, em plena expansão.

“Com vistas a atender crianças de 3 a 8 anos, procuramos adaptar alguns itens de nosso catálogo para melhor se ajustarem aos espaços delas. Mas também oferecer uma linha de peças inéditas, desenvolvidas por nosso time com as mesmas tecnologias e matérias-primas de nossos demais produtos”, afirma Luti. 

Curta a página do Casa no Facebook

Assim, a coleção lançada em abril se estrutura em três segmentos. O primeiro traz assentos ou superfícies de apoio que podem se transformar em brinquedos, como a série Smile, desenvolvida pelo estúdio Nendo, sob inspiração dos emoticons. Depois, algumas peças foram concebidas especificamente para funcionarem como brinquedos. Caso dos carros e tratores criados por Piero Lissoni, usando chapas coloridas de metacrilato e estrutura de metal. Ou ainda do cavalo de balanço de Nendo, no mesmo material.

Por fim, surgem objetos pensados para preencher espaços de uso cotidiano e áreas de lazer, como o balanço criado por Starck com policarbonato transparente e a mesa Clip Clap, de Ferruccio Laviani, que pode ser montada e desmontada para melhor se adequar ao tamanho de seus usuários. “Diria que, sob qualquer aspecto, são produtos intrinsecamente ligados à filosofia Kartell, mas que vão além disso. São produtos brincalhões, divertidos, envolventes. Afinal, as crianças são muito exigentes”, pontua Luti.

Divulgação
Ver Galeria 10

10 imagens