Arquiteto conta em livro como a natureza influencia seu trabalho

Marcelo Lima - O Estado de S.Paulo

A biomimética, disciplina que estuda as formas e estruturas da natureza, está presente em todos os trabalhos de Marko Brajovic, que acaba de lançar "In Nature We Trust"

O arquiteto, designer e cenógrafo croata Marko Brajovic

O arquiteto, designer e cenógrafo croata Marko Brajovic Foto: divulgação

O arquiteto croata radicado em São Paulo Marko Brajovic dedicou a última década de sua carreira ao estudo da biomimética: uma área de conhecimento multidisciplinar, que estuda as estruturas naturais e suas funções. “A natureza vem se aperfeiçoando, por erro e acerto, há quase 4 bilhões de anos. Sem dúvida, ela tem muito a nos ensinar”, afirma o arquiteto, que traça um painel de suas experiências em In Nature We Trust, livro lançado este mês, no qual, ao lado de diversos projetos nas áreas de arquitetura e design, apresenta a cenografia de algumas mostras de sucesso que realizou no Museu da Imagem e do Som de São Paulo (MIS), como a dedicada a David Bowie. Além de reafirmar seu amor incondicional pelo bambu. “É um material de crescimento rápido, cuja utilização causa baixíssimo impacto ambiental”, disse em entrevista ao Casa. 

O que é e como você tem aplicado o conceito de biomimética a seus trabalhos?

Observando os processos naturais, seus mecanismos e estratégias, temos conseguido, em alguns casos, incorporar essa sabedoria aos nossos processos criativos. A essa abordagem inovadora damos o nome de biomimética. Inspirado pela natureza, tenho me permitido desenvolver projetos de design, arquitetura e cenografia, creio eu, com bons resultados.

A casa Arca, projeto de Brajovic em Parati

A casa Arca, projeto de Brajovic em Parati Foto: divulgação

O que são “arquiteturas vivas”?

Em vez de adotar um processo de fabricação ‘de cima para baixo’, modelando os objetos após eles serem processados industrialmente – o que pressupõe um consumo extra de energia –, nossa intenção é fazer ‘crescer’ componentes. Para isso, estamos testando manipulações com bambu com o objetivo de direcionar o crescimento do organismo vivo. Diferentes plantas podem ser modeladas durante sua fase de crescimento a fim de chegar a formas e funções ideais e seu resultado pode ser usado no design. Daí o termo “arquiteturas vivas”.

Estande Docol na Expo Revestir, exercício de biomimética aplicada à cenografia

Estande Docol na Expo Revestir, exercício de biomimética aplicada à cenografia Foto: divulgação

O bambu é uma de suas matérias-primas favoritas. O que o fascina na planta?

O bambu tem sido um aliado do ser humano há milhares de anos. Conheci a planta há mais de dez anos na Costa Rica, continuei minhas pesquisas no Japão e quando cheguei ao Brasil me surpreendi com a variedade de espécies. Amo o bambu por tudo o que ele nos deu e poderá nos dar. Com ele, podemos fazer ferramentas, móveis, casas, tecidos, até papel. Na construção, ele pode ser usado no formato de varas ou de placas. Enfim, são inúmeras as possibilidades!

O livro In Nature We Trust, recém-lançado por Marko Brajovic, pela editora Kobajagi Design,(240 págs., R$ 180)

O livro In Nature We Trust, recém-lançado por Marko Brajovic, pela editora Kobajagi Design,(240 págs., R$ 180) Foto: divulgação