Você sabe a diferença entre cisto e cálculo renal?

- O Estado de S.Paulo

Médico esclarece a dúvida e explica o que são cistos simples e complexos

Foto: Pixabay

SÃO PAULO - Muito já se ouviu falar sobre cálculo renal, mais conhecido como pedra nos rins, mas pouca gente conhece o cisto renal, alteração que pode ser encontrada em até 15% dos pacientes acima de 70 anos. Fábio Vicentini, urologista do Centro de Cálculo Renal do Hospital 9 de Julho, explica que enquanto os cálculos são sólidos como pedras, os cistos têm conteúdo líquido.

"Cistos e cálculos são totalmente diferentes. Os cistos têm conteúdo líquido e, na maior parte das vezes, são assintomáticos, enquanto que os cálculos são sólidos, formados por cristais de cálcio que se juntam na urina, formando as pedras", afirma. Ainda existem os cistos simples e complexos. Os simples são apenas uma bolha com conteúdo líquido. Já os complexos têm alterações, como septos ou partes sólidas.

O especialista explica que os cistos podem ser de causa genética, por entupimento de um dos canais dos rins que filtram o sangue e produzem a urina, ou ainda por causa indeterminada. Na maior parte das vezes ele não apresenta sintomas, mas, os cistos maiores podem causar dor lombar e sangramento microscópico na urina. "Eles podem crescer a ponto de se tornaram palpáveis na barriga", observa.

Foto: Divulgação

O diagnóstico do cisto costuma ser feito em exames de rotina, como um ultrasson ou uma tomografia. Quando identificado, o médico recorre a uma ressonância para definir a classificação daquele cisto.

Os cistos podem ser classificados em quatro tipos. Essa classificação está relacionada com a chance dele ser um tumor maligno. No tipo 1, a chance é zero. O tipo 2 e o 2f, a chance é cerca de 5%. Já os tipos 3 e 4 têm chances de 40 a 80% de serem um tumor maligno.

Por isso, os cistos dos tipos 1 e 2 são acompanhados com exame anual de imagem, sem a necessidade de extração sem não estiverem causando sintomas. Já os tipos 3 e 4 são tratados cirurgicamente, devido ao alto risco de malignidade, mesmo que assintomáticos.

Consultoria: Hospital 9 de Julho