Veja sete dicas de como cuidar bem de sua calcinha e evitar problemas de saúde

Redação - O Estado de S.Paulo

Ginecologista alerta para os cuidados ao lavar e os perigos de usar absorvente íntimo todos os dias

'Você pode até lavar a calcinha no chuveiro, mas depois disso, coloque para secar em um local arejado. O banheiro é um local úmido e adorado pelos fungos', ressalta ginecologista

'Você pode até lavar a calcinha no chuveiro, mas depois disso, coloque para secar em um local arejado. O banheiro é um local úmido e adorado pelos fungos', ressalta ginecologista Foto: Pixabay

A calcinha passa o dia inteiro em contato com uma região muito íntima e sensível, portanto é importante alguns cuidados com ela para evitar a proliferação de fungos e bactérias, que podem causar irritações e até doenças.

Por isso, a ginecologista Mariana Maldonado dá dicas de como cuidar da peça íntima. “Em meu consultório, recebo frequentemente casos de mulheres que sofrem há anos com diagnóstico de candidíase de repetição. Problemas crônicos como alergias de contato, que também provocam coceiras, dor com a penetração na hora da relação sexual e aquele corrimento branco aumentado, podem ser todos causados por algo que é passado despercebido, como a higienização errada da calcinha”, comenta a especialista.

Confira as dicas:

1. Muito cuidado ao lavar. Depois do banho, separe a calcinha, lave ela no tanque com água corrente, esfregue com sabão neutro e pronto. O sabão em pó e o amaciante possuem muitas substâncias químicas que podem causar alergia e também a famosa candidíase de repetição. E nada de lavar a calcinha no chuveiro e deixá-la secando por ali mesmo. Você pode até lavá-la no chuveiro, mas depois disso, coloque para secar em um local arejado. O banheiro é um local úmido e adorado pelos fungos.

 

2. Fuja dos absorventes do dia a dia. Esses protetores diários podem até ajudar a manter a calcinha mais limpinha e cheirosa ao longo do dia, mas com uso frequente, eles abafam a região e podem ocasionar a proliferação de fungos, como a cândida.

 

3. Sua calcinha é só sua. Foi dormir na casa de uma amiga e esqueceu a calcinha? Nada de pedir uma emprestada para a dona da casa. Não é que sua amiga não lave roupa direito, mas é que a calcinha fica em contato com uma região muito íntima e ela pode ainda conter restos de secreções. Portanto, em uma situação dessas, peça a sua amiga um absorvente e o coloque sobre sua própria calcinha.

  

4. Nada de usar calcinha sem lavar. Foi viajar e esqueceu de levar uma calcinha? Nada de comprar uma peça em uma loja de departamento e já colocá-la para uso, hein! Vai saber em quantas mãos e lugares estranhos aquela peça já passou. Sem falar do pó que pegou enquanto estava sendo exposta.

 

 

5. Calcinha apertada e fio dental todos os dias não é legal. Toda mulher sabe o quanto uma calcinha que machuca pode estragar o dia. Portanto, ao comprar essas peças, escolha as que te deixarão mais confortável e protegida. Deixe as calcinhas com tecidos especiais e tamanhos menores só para algumas situações. Para o dia a dia, evite as que te causam irritações, assaduras e coceiras.

 

6. Calcinha velha tem que ir para o lixo, ok? A calcinha já está velhinha, com o tecido fininho e com alguns furinhos na parte que fica em contato com a vagina? Então, é hora de ir para o lixo. Não adianta ficar guardando essa peça, já que ela não executará seu papel básico, que é proteger seu corpo de sujeiras e do contato com o ambiente exterior.

 

7. Liberdade ao dormir. Aproveite as horas de sono para deixar o corpo relaxar e deixar sua área íntima sem nada que a abafe. Um pijaminha leve e de algodão ajuda a protegê-la. Porém, nesse caso, vale o mesmo cuidado com a calcinha ao lavar, já que essa peça ficará em contato direto com a região vaginal, evite usá-la por muitos dias e use sabão neutro.

Veja também: Ginecologista ajuda a escolher o método contraceptivo ideal

Esparta Palma / Creative Commons
Ver Galeria 8

8 imagens