Transformar o tempo em família em tempo de entrar em forma

Mari-Jane Williams - O Estado de S.Paulo

Tempo apertado não é desculpa para cuidar da própria saúde

Todos conhecemos os benefícios do exercício físico. Ele pode melhorar nossa saúde física e mental e ajudar a expandir nossos círculos sociais. É o mais perto de uma panaceia que poderemos provavelmente chegar. É também a melhor maneira de fazer crianças usarem aquela energia ilimitada para o bem pessoal e não para a destruição pública.

Os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC na sigla em inglês) recomendam que adultos façam pelo menos 150 minutos de exercícios aeróbicos moderados por semana, mais exercícios para o fortalecimento muscular dois dias por semana. Crianças e adolescentes precisam de mais exercício ainda: pelo menos 60 minutos diários, segundo os CDC. Mas somente 30% dos adultos e 25% das crianças de 12 a 15 anos praticam a quantidade recomendada de exercícios.

Não temos tempo. Somos distraídos por todos aqueles aparelhos cintilantes. Somos ótimos em procrastinar. Estamos tão ocupados levando nossos filhos ao futebol, à natação ou à aula de arte que não sobra tempo para nossos próprios exercícios. 

Seja qual for a razão, pais e filhos não estamos aproveitando a única coisa que pode confiavelmente nos fazer sentir melhores. De modo que este é um apelo para pais e filhos com o tempo apertado largarem seus tablets e smartphones e ficarem ativos juntos.

Ao praticar exercícios em família, você terá um sistema de apoio intrínseco. Quando o pai está um bagaço após um longo dia de trabalho, o(a) filho(a) de 12 anos pode lembrá-lo que se exercitar é uma prioridade familiar. Se todos malharem juntos, a chance de sucesso para alcançar as metas de forma física são muito maiores, disse David Buer, um personal trainer baseado em Atlanta. Exercícios em família também podem dar uma atividade divertida compartilhada que pode continuar à medida que os filhos se desenvolvem naquele período desajeitado da adolescência. Você sabe, quando eles podem se afastar demais de seus pais tão chatos.

“Além dos benefícios físicos e sanitários óbvios, é uma experiência de união”, disse Buer. “Você está liderando pelo exemplo e imprimindo hábitos saudáveis que potencialmente durarão por toda a vida. É também um grande momento de convivência entre duas pessoas.”

Não estamos falando de correr uma maratona com seu filho (a) de 12 anos no próximo mês ou comprar equipamentos caros. Você pode escolher uma atividade que seja divertida, barata e (relativamente) indolor.

Conversamos com especialistas em seis tipos de exercícios que pais podem praticar com seus filhos. Eles compartilharam truques para manter os lamentos ao mínimo e seus lugares favoritos para malhar. Eis as sugestões que eles deram sobre como tentar praticar ciclismo, caminhada, escalada de rochas, corrida, remar em pé e ioga em família.

Ciclismo. Megan Odett, uma mãe de dois filhos que vive em Washington, costumava usar a bicicleta como meio de transporte. Após uma gravidez complicada de seu primeiro filho, que está com 4 anos agora, ela se viu mergulhada numa penosa depressão pós-parto. Ela voltou então à sua bicicleta e trouxe o filho Alex com ela.

“Voltar a andar de bicicleta com ele foi meu caminho para a recuperação física e emocional”, disse Odett, que rodou com o filho preso em sua cadeirinha de carro até ele se graduar para um selim de bicicleta. Ela vai para o trabalho de bicicleta todos os dias, deixando os filhos na creche e na pré-escola a caminho do trabalho, e o filho mais velho roda ao seu lado em passeios recreativos em sua bicicleta de equilíbrio.

“Nós andamos devagar e para desfrutar melhor o mundo ao redor”, disse Odett. “Você pode ver mais quando está pedalando do que quando está dirigindo um carro, e nós temos a oportunidade de parar e explorar coisas que nos interessam ao longo do caminho.”

Odett é fundadora e organizadora da Kidical Mass D. C., um grupo que organiza passeios de bicicleta com crianças na área de Washington.

Antes de levar um filho para a rua, disse Odett, cuide para que ele possa manejar sua bicicleta, sabendo parar e reiniciar corretamente. Também é importante que ele tenha um bom controle de impulso.

Caminhada

Jennifer Chambers começou a levar a filha em caminhadas num carrinho de bebê quando ela tinha quatro semanas de vida. No fim de semana do Memorial Day, Chambers e a filha, agora com 13 anos, caminharam 64 quilômetros na Appalachian Trail na Pensilvânia com alguns amigos. Os Chambers possuem a Hiking Along, uma organização que conduz crianças da pré-escola ao colegial em caminhadas na área de Washington. As caminhadas incorporam atividades científicas práticas. A combinação de caminhada com ciência veio dos 18 anos de Chambers como professora de alunos com necessidades especiais.

Tivemos problemas de obter aceitação quando tentamos caminhar com nossos filhos (muita agarração, paradas frequentes para o banheiro e discussões contenciosas). Aí nós pedimos a Chambers para compartilhar seus segredos para manter os resmungos ao mínimo.

Além de embalar muitos salgadinhos, levar um amigo e deixar que as crianças caminhem no seu próprio ritmo, ela disse que é importante escolher a trilha certa. E quando se trata de garotos, isso é geralmente algo com pedras e água. Ela também sugeriu levar uma lupa, binóculo ou uma publicação sobre a natureza e marcadores para a criança usar ao longo do caminho.

Uma boa caminhada para garotos explora parte da Appalachian Trail a partir do Bear`s Den Center em Bluemont, Virgínia. A trilha de 3,2 quilômetros na propriedade tem um afloramento de rochas que dá um excelente local para um piquenique, disse Chambers. Garotos mais velhos e adolescentes adoram a Seção A da Billy Goat Trail em Great Falls, Virgínia, disse ela, mas a caminhada de 2,7 quilômetros é cansativa e envolve muita escalação de pedra, por isso não é ideal para crianças mais novas.

Escalação de pedras. Escalar um paredão de perda de 12 metros sem nada além de um céu azul entre você e o chão pode não ser para os que têm acrofobia. Mas para Arabella Jariel, de 12 anos, de Herndon, Virgínia, e seus pais, Jennie e Ike, é a maneira perfeita de relaxar em família.

“É um desafio físico e mental, porque há momentos em que, além da parte física, você precisa vencer seu medo”, disse Jennie Jariel, que começou a escalar quanto estava na universidade. “Como família, nos ajudamos mutuamente nisso.”

Arabella começou a escalar quanto tinha sete anos e vem competindo na equipe do Earth Treks em Rockville, Maryland, desde os oito. Jennie Jariel disse que isto é perfeito para eles porque enquanto Arabella está se exercitando na academia, ela e Ike podem praticar escalada também.

Eles fazem visitas familiares a lugares como Red River Gorge em Kentucky e Hueco Tanks em El Paso para escalar juntos.

As famílias interessadas em tentar escalar pedras podem ir a uma sessão de escalada aberta numa academia local antes de se inscrever para aulas, disse Jennie Jariel.

Corrida. As crianças são programadas para correr, mesmo que sejam algumas voltas em redor da casa na manhã antes da escola. Elas têm muita energia e ela precisa extravasar. É fácil, portanto, trazê-las para seu programa de exercícios.

Kristen Komlosy, a diretora executiva da Girls on the Run-D.C., corre com seus dois garotos, que têm 7 e 10 anos, cerca de três vezes por semana. Os dois meninos praticam esportes, incluindo basquete e lacrosse. Ela torce dos lados do campo quando eles jogam, mas correr é algo que ela pode fazer junto com eles.

“Eles acham legar conseguir acompanhae a mãe, ou tentar vencê-la”, disse Komlosy. “Eles liberam um pouco de energia, fazem alguma coisa que gostam e vão embora com uma sensação de realização.”

Jenny Hadfield, uma colunista de RunnersWorld.com, sugere usar tabelas de progresso para manter todos motivados. Os garotos gostam de saber quanta distância correram ou como melhoraram seu tempo ao longo de um mês. Ela disse também que os pais podem transformar a corrida numa caça ao tesouro, com um mapa e brinquedos escondidos ao redor da rota de corrida, para divertir os garotos.

Muitas escolas locais realizam corridas de diversão de 1 milha e de 5 quilômetros que podem ser grandes eventos para pais e filhos entrarem juntos. Komlosy e seus filhos vêm fazendo essas corridas de uma milha juntos. Os garotos expressaram recentemente interesse em tentar uma de 5 quilômetros, de modo que o treinamento para isso será o próximo passo, disse ela.

Hadfield disse que a maioria das corridas para pré-escolares são de entre um quatro de milha e meia milha (entre 400 e 800 metros). Algumas crianças estão prontas para treinar para 5 quilômetros quando têm 7 anos, disse Haddfield, mas é sempre melhor consultar seu pediatra para ter certeza de que a corrida é apropriada para o seu filho.

Remar em pé. Para Carleen Birnes, dona do Mantra Fit em Arnold, Maryland, remar em pé é uma atividade relaxante, de baixo impacto, que ela pode compartilhar com sua filha de 6 anos, Reese Birnes Grindle. O fato de que isto as tira de dentro de casa é um bônus.

“Você não pode estar ligado na telinha quando está balançando na água”, disse ela. “Remar em pé nos obriga a estar em contato com a natureza. Mesmo numa caminhada, você ainda pode estar consultando seu telefone ou tirando fotos. Isto a força a estar presente e consciente da água e dos barcos circulando ao seu redor.”

O exercício de equilíbrio beneficia o desenvolvimento cerebral e muscular dos garotos, disse Birnes, e ajuda na coordenação motora. E como é de baixo impacto, as pessoas que não podem correr por problemas nas articulações podem participar.

“As pessoas acham que parece difícil. Não é”, disse Birnes “Você só precisa superar o equívoco de que precisa ter realmente um bom equilíbrio para praticá-lo. Você só precisa de uma prancha estável e o equilíbrio virá à medida que você se fortalece.”

Birnes não recomenda essa atividade para crianças com menos de 6 anos, porque elas têm de ser capazes de manejar o remo. Às vezes, quando ela sai com a filha, elas remam até uma ilha juntas, depois Birnes usa uma corda para rebocar Reese na volta se ela ficar cansada. Outros pais gostam que seus filhos fiquem sentados na frente da prancha enquanto eles remam, disse ela.

A Mantra Fit organiza excursões de remar em pé ao por do sol no Magothy River perto de Annapolis, partindo da Ferry Point Marina em Arnold, além de aulas de ioga e remo normal.

Ioga. Liliana Lopez de Bethseda, Maryland, e sua filha, Beka Dychtwald, de 9 anos, começaram a frequentar as aulas em família na Circle Yoga em Washington como uma maneira se ligar depois que Lopez e seu marido se divorciaram há dois anos. Lopez descobriu que a ioga era uma grande maneira de aliviar seu estresse e quis partilhar esses benefícios com a filha.

“Eu queria trazê-la para a ideia geral de dar um tempo e simplesmente respirar”, disse Lopez. “As crianças de hoje não fazem pausas, elas estão constantemente em ação. Ela estava praticando esportes na escola quase todos os dias, mas eu queria que ela fizesse um tipo de atividade mais pensativa.”

Elas frequentam aulas juntas um sábado sim outro não, quando Beka está com Lopez para o fim de semana.

Linda Feldman, diretora de programação da Circle Yoga, disse que as aulas em família são mais divertidas do que uma classe normal de ioga. 

Tradução de Celso Paciornik