Tecnologia ajuda a manter a forma durante viagens internacionais

Camila Santos - O Estado de S.Paulo

Aplicativo contabiliza as calorias dos pratos típicos de diferentes países e sugere exercícios compensatórios

O MyFitnessPal apresenta atividades proporcionais aos excessos alimentares

O MyFitnessPal apresenta atividades proporcionais aos excessos alimentares Foto: Chris Hunkeler/ Creative Commons

Habitualmente, o período de férias é associado à ruptura dos horários cotidianos para dar lugar a momentos de diversão, lazer e viagens que proporcionam o contato com culturas variadas. E, durante as visitas a destinos internacionais, experimentar a gastronomia local torna-se um diferencial para intensificar a aproximação cultural. Porém, se não há viagem completa sem pratos típicos, é possível recorrer à tecnologia para não trazer alguns quilinhos extras na bagagem.

 

Criado em 2005, pelo estadunidense Mike Lee, o aplicativo MyFitnessPal  permite que os usuários somem gratuitamente o consumo e gasto calórico diários enquanto estão longe de casa. De acordo com a executiva Tina Louise, responsável pelo gerenciamento do serviço, a plataforma também é atrativa por oferecer sugestões de exercícios que compensem os excessos alimentares. “Se você come uma salsicha de vitela na Alemanha, com 428 calorias, seriam necessários 39 minutos de caminhada”, analisa.

 

Após baixar o aplicativo, o usuário estipula um limite de ingestão calórica a partir de dados como peso, altura, idade, rotina e meta. Com isso, os alimentos consumidos em cada refeição são listados por meio da ferramenta de busca, que realiza a procura por nomes genéricos e marcas, ou da digitalização do código de barras das embalagens. Em seguida, o aplicativo apresenta as informações nutricionais relativas ao item que indivíduo comeu, realçando o índice de açúcar, sódio, gordura, carboidratos e proteínas.

 

Veja exercícios indicados pelo aplicativo que ajudam a queimar as calorias das delícias típicas mundo afora:

Fonte: Banco de dados do aplicativo MyfitnessPal, baseado em uma mulher de 30 anos com altura e peso médios. Consideradas porções de aproximadamente 100 gramas de cada alimento.

Solo nacional. Em relação aos brasileiros, Tina ressalta que há maior preocupação em manter hábitos saudáveis, com boa nutrição e prática regular de atividades físicas em qualquer lugar do mundo. “Os brasileiros se destacam ainda pelo engajamento significativo nas redes sociais e pelo orgulho das suas conquistas”, afirma a executiva. A interação também é estimulada pela plataforma, já que os usuários têm a opção de adicionar outros membros como amigos para que haja maior incentivo. Conforme análise feita pelo MyFitnessPal, aqueles que possuem uma média de quatro amigos no aplicativo tendem a perder duas vezes mais peso do que os outros.

 

Tina avalia que a expectativa de desenvolvimento da plataforma no País já foi atingida, abrindo caminho para previsões favoráveis: “Os números não param de crescer. Hoje, o Brasil é um dos nossos dez mercados chave”, acrescenta. Entre os brasileiros que acessam o aplicativo, pode-se observar o consumo de, em média, 1.562 calorias por dia. “O almoço aparece como refeição principal, pois contabiliza cerca 489 calorias individuais”, conclui.

 

O MyFitnessPal, que chegou ao Brasil em 2014, conta com 5 milhões de alimentos em seu banco de dados e aproximadamente 1,5 milhão de usuários no País, segundo levantamento da plataforma digital da empresa Under Armour. O aplicativo está disponível para os sistemas iOS, Android e Windows Phone, além da versão para desktop.

 

Confira a lista de alimentos mais consumidos no Brasil, de acordo com o MyFitnessPal:

Steven Depolo/ Creative Commons
Ver Galeria 10

10 imagens

Motivação. Exercitar-se em troca de recompensas. Esta é a proposta apresentada pelo Mova Mais, serviço em fase beta que, a partir de informações coletadas por meio de aplicativos voltados à saúde, como RunKepper, Map My Run e Strava, contabiliza pontos em programas de benefícios que poderão ser utilizados pelos usuários.

 

Fundada em 2014, por Fernando Aquino e Marcos Gomes, a plataforma foi elaborada diante da necessidade de estímulo imediato aos praticantes de atividades físicas. “Os pontos ganhos já são válidos e poderão ser trocados nos programas parceiros assim que a operação atingir o próximo estágio”, esclarece Aquino, CEO do Mova Mais, que também é ciclista.

 

Segundo o CEO, os interessados podem se cadastrar por meio do site do Mova Mais para que os pontos sejam acumulados. O empreendedor afirma que o financiamento será realizado por marcas que desejam se associar à vida saudável. “Estaremos ligados aos principais projetos do Brasil”, salienta.

Até o momento, não há previsão para a liberação do sistema de trocas do Mova Mais. Conforme dados do serviço, nos primeiros 40 dias de operação em modo beta, a plataforma totalizou 50 mil usuários registrados.

 

Na linha. A nutricionista esportiva Ana Paula Hayashi frisa que, apesar de os aplicativos de exercícios terem uma proposta interessante, muitas vezes, alguns detalhes de funcionamento dificultam a efetividade de ação. “As pessoas que fazem uso deste tipo de serviço correm o risco de sofrer lesões caso a atividade seja feita de maneira errada”, verifica. A profissional alerta que, em um primeiro momento, o acompanhamento de um especialista na orientação de qualquer exercício é primordial para o indivíduo assimile os movimentos corretos. “Assim que houver maior familiarização, o praticante pode executar a prática esportiva sozinho ou em frente ao espelho”, argumenta.

 

A respeito dos serviços que funcionam como suporte para dieta, Ana Paula afirma que os valores nutricionais ingeridos diariamente não devem ser o único aspecto levado em consideração: “Vai muito além da necessidade fisiológica. Os históricos de alimentação, prazeres e hábitos também são determinantes nesta avaliação”, expõe a nutricionista.

 

Já a personal trainer Pollyana Takao explica que, para manter a forma ao longo das viagens, o ideal é não interromper os treinos. “Temos de pensar que estamos de férias do trabalho, só que não podemos tirar férias da nossa saúde”, complementa. Pollyana aconselha as pessoas a optarem por roteiros que exijam maior esforço e, consequentemente, resultem na queima de calorias, como trilhas, por exemplo.

 

E, se a viagem for voltada para descanso, a personal sugere que seja feito um treino de 15 minutos a cada três dias: “Assim, não há como perder o condicionamento físico e a musculatura não será prejudicada”, finaliza.