Sono é indispensável para a regeneração do organismo

- O Estado de S.Paulo

Uma boa noite de descanso serve para recuperar o corpo das atividades físicas

A prática de atividades físicas é benéfica e recomendada quando o assunto é melhorar a qualidade de vida e desestressar. Isso não é diferente com relação ao sono: exercícios ajudam a garantir um bom descanso à noite.

“O processo de treino é degenerativo. Há um gasto maior de glicose muscular e a temperatura do corpo também aumenta para treinar. O próprio organismo pede um sono maior”, explica o instrutor da Bodytech Campinas, Vinicius Concon Risso, em entrevista ao programa Rota Saudável, da Rádio Estadão.

A ideia é que se o gasto calórico aumenta, há a necessidade de recuperação. “Durante o sono, o metabolismo tem um gasto calórico mínimo, o que é ideal para essa regeneração”, diz. O próprio corpo pede um descanso maior, pois “entende que gastou toda essa musculatura”. Esse processo faz com que o descanso seja prolongado.

Risso alerta que pessoas que treinam pouco antes de dormir podem ter problemas de sono pela agitação que o exercício físico propicia, dada a liberação de hormônios excitatórios. Porém, isso é questão de costume. “Se a pessoa se acostuma a fazer exercícios nesse horário, ela consegue dormir até uma hora depois de ter praticado a atividade. Depende muito da individualidade biológica.”

Outro fator que também varia entre os praticantes é a constância e a intensidade dos exercícios. As recomendações gerais indicam que as atividades físicas sejam feitas entre duas e três vezes por semana, com um dia de descanso entre dois dias de exercício, mas esse hábito também difere de pessoa para pessoa. “É preciso equalizar treino e descanso”, lembra.

No começo do treinamento, é possível que a liberação dos hormônios não dê bons resultados. “É necessário ensinar o corpo a liberar os hormônios excitatórios até que ele se acostume, e quanto mais estímulos a pessoa conseguir dar, mais rápido o organismo vai se adaptar”, ele frisa. Se os intervalos entre os exercícios forem maiores, mais tempo o corpo demorará até se habituar.

Risso garante que, apesar de o horário recomendado para a prática de exercícios ser entre 15h e 21h, devido a fatores como aumento de temperatura corporal e liberação maior de testosterona, o importante é realizar alguma atividade. “Entre fazer exercício em um horário que não é 'recomendado' e não fazer nada, faça mais tarde”, conclui.