Sociedade de Pediatria de São Paulo alerta para obesidade infantil na quarentena e dá dicas

Camila Tuchlinski - O Estado de S.Paulo

Cuidado com alimentação dos pequeninos é necessário em tempos de pandemia do novo coronavírus

Especialistas alertam para o aumento no número de casos de obesidade infantil durante quarentena

Especialistas alertam para o aumento no número de casos de obesidade infantil durante quarentena Foto: Pixabay

Ter crianças em casa em período integral por causa da pandemia do novo coronavírus exige também cuidado em relação à alimentação. Com o confinamento, elas se exercitam menos e a correria do home office dos pais, muitas vezes, pode contribuir para o consumo de produtos industrializados. 

Especialistas estão em alerta sobre a possibilidade de aumento no número de casos de obesidade infantil durante e após a pandemia. 

O presidente do departamento de Nutrição da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Rubens Feferbaum, adverte que essa condição é na verdade uma oportunidade para pais, cuidadores e ensino escolar à distância incentivá-las a terem um maior contato com os alimentos, para a formação e manutenção de bons hábitos.

"A criança pode participar do processo da elaboração das refeições, desde a higienização até o preparo final – atividades que podem ser realizadas por diferentes faixas etárias, sob a coordenação de um adulto e que incentivam práticas alimentares mais saudáveis", diz o pediatra. 

VEJA TAMBÉM: Muito além da obesidade - Os efeitos nocivos do consumo de açúcar por crianças

Unsplash/Pixabay
Ver Galeria 7

7 imagens

Como manter uma rotina alimentar saudável para crianças na quarentena?

A Sociedade de Pediatria de São Paulo criou uma lista com dicas para uma alimentação saudável durante a quarentena por causa do novo coronavírus. Porém, isso não impede a manutenção dos hábitos para o pós-pandemia. Confira:

- Incentivar o consumo de frutas, verduras e legumes, cereais, tubérculos, leguminosas, carnes, ovos e leite;

- Hidratar-se adequadamente: aumentar o consumo de água;

- Quando possível, permitir e ajudar a criança a montar o seu prato de forma atrativa e colorida com diferentes tipos de alimentos;

- Comer com regularidade em horários estabelecidos e com atenção, isto é, devagar e saboreando os alimentos e preparações;

- Comer com calma em horários e ambiente apropriados em conjunto com os demais membros da família, isento de distrações;

- Evitar realizar refeições na presença de telinhas (ou telões!), como televisão, computador, celular, tablet;

- Evitar lanchinhos ou beliscar entre as refeições.

O que você deve evitar na hora de alimentar as crianças

Além das dicas, existem alguns comportamentos dos adultos que precisam ser evitados na hora de alimentar as crianças. Veja se pratica alguns deles e tente driblá-los. 

- Obrigar ou forçar a criança a comer, o que pode gerar conflitos;

- “Chantagear” a criança. Exemplo: “Se comer todo o legume, vai ganhar a sobremesa”;

- Substituir o alimento recusado por outro de preferência da criança;

- Desistir de oferecer o alimento após poucas tentativas;

- Substituir a refeição por pães, biscoitos, leite, em caso de inapetência;

- Obrigar o filho a terminar o prato quando ele não quer mais ou não permitir que ele repita algo, quando pede mais.