Roupas e calçados inapropriados podem prejudicar o seu treino

Ana Clara Barbosa - O Estado de S.Paulo

Especialistas afirmam que o uso dos acessórios adequados é fundamental na prática de exercícios

É recomendado que se prove as roupas antes da compra e, se possível, simule alguns movimentos para ter certeza de que ela seja adequada

É recomendado que se prove as roupas antes da compra e, se possível, simule alguns movimentos para ter certeza de que ela seja adequada Foto: Sascha Wenninger/ Creative Commons

Uma grande dúvida para quem pratica atividades físicas é o que usar na hora dos exercícios. Encontrar algo confortável, que contribua na prática, pode ser difícil, mas Daniela Rodrigues, gerente de criação da Fila, revelou em entrevista ao programa Rota Saudável, da Rádio Estadão, algumas dicas que podem ajudar na escolha.

De acordo com Daniela, o atleta deve procurar tecidos que sejam feitos de poliamida, um fio que garante uma melhor respirabilidade e dá um ar mais fresco. Ele também tem uma melhor absorção do suor, o que pode colaborar para o bom desempenho do atleta. As vestimentas sem costura são ainda mais benéficas e podem ajudam em uma performance cada vez melhor. 

A roupa inadequada, no entanto, pode prejudicar o praticante da atividade. Algumas costuras com atrito podem machucar e até causar feridas, o que acontece bastante com corredores que utilizam os produtos errados. Também é necessário ter consciência de que cada atividade precisa de um design, um tecido específico, cabe ao atleta saber quais são seus objetivos. 

A gerente ainda recomendou que se prove as roupas antes da compra e, se possível, simule alguns movimentos para ter certeza de que ela seja adequada. É preciso observar se os cortes não estão posicionados em áreas de atrito e optar por aqueles feitos de materiais abertos, para proporcionar uma maior ventilação.

Com essa indústria crescendo cada vez mais, ela conta que alguns produtos já oferecem proteção solar, respirabilidade, evitam o odor, tudo isso alinhado à moda, o que não acontecia antigamente. 

Em relação aos preços, ela admite que, muitas vezes, os produtos não são os mais baratos. “Tudo o que você agrega no produto aumenta o custo”, explica. Mas nem todos os atletas precisam de algo tão sofisticado e, muitas vezes, um produto simples basta. Uma regata simples, por exemplo, pode suprir a necessidade de um atleta, oferecendo a respirabilidade. A durabilidade, no entanto, compensa: o fio  de náilon duram mais, dependendo da cautela.  “O mais importante é a forma de cuidar”, conclui.  

É recomendado que se prove as roupas antes da compra e, se possível, simule alguns movimentos para ter certeza de que ela seja adequada

É recomendado que se prove as roupas antes da compra e, se possível, simule alguns movimentos para ter certeza de que ela seja adequada Foto: inka7791/ Creative Commons

O Calçado ideal. Encontrar uma roupa adequada não é o único desafio para quem pratica atividades físicas, no entanto. Usar um bom tênis é uma tarefa obrigatória, que também gera dúvidas.  O médico Carlos Gorios, presidente do Comitê de Traumatologia do Esporte da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, esclareceu algumas destes questionamentos durante o programa Rota Saudável, da Rádio Estadão.

O sapato ideal vai variar de acordo com a modalidade, conta. No caso da corrida, por exemplo, um tênis leve, flexível, com a sola macia e com um bom amortecedor é o mais ideal. Seu material também é diferente: ele deve ser de nylon, raramente de couro. Já o valor é variável. Mas, de acordo com o especialista, o tênis não precisa ser caro para ser bom. 

O tempo de vida do calçado vai variar de acordo com o uso, mas, ao perceber que o tênis está começando a causar problemas articulares, é a hora do atleta trocá-lo. Gorios desmente o mito de que o amortecedor do tênis perde sua qualidade de um dia para o outro, e que isso resultaria na necessidade de ter mais de um par. “É interessante ter dois pares, porque geralmente o atleta não pratica só uma modalidade esportiva”, explicou.  

Um tênis comprado errado pode causar vários problemas articulares, no joelho, no tornozelo, podendo causar problemas musculares, como dores. “Pode levar até a fraturas, em uma pisada errada, em um estágio mais avançado”, afirma o médico.