Novo estudo sugere que poluição e Alzheimer não se relacionam

Redação - O Estado de S.Paulo

Cientistas questionam relação entre degeneração dos neurônios e contaminação do ar

Estudo sugere que poluição e mal de Alzheimer não se relacionam

Estudo sugere que poluição e mal de Alzheimer não se relacionam Foto: Pixabay/ Creative Commons

Pesquisadores do Centro Nacional de Investigações Científicas da França apontam pouca relação entre a poluição e o mal de Alzheimer, tese levantada em estudo de 2016. A pesquisa divulgada à época apontava que a inalação de magnetita suspensa no ar acelerava a degeneração dos neurônios.

A nova tese, publicada na revista Angewandte Chemie, indica a necessidade de haver uma revisão dos trabalhos que relacionam a contaminação do ar à doença. Os cientistas também pretendem desmentir um informativo anterior, de 2007, cujo estudo aponta oxidação "nefasta" das proteínas cerebrais por causa do mineral.

"A magnetita é incapaz de interagir com a amilóide e induz reações de oxidação", justifica o grupo. "Este estudo deve levar a uma revisão cuidadosa dos trabalhos que consideram a magnetita perigosa no cérebro humano", finaliza.