Motivos para trocar o arroz branco pelo integral

Marília Marasciulo - O Estado de S.Paulo

Benefícios incluem perda de peso e prevenção de doenças do coração

Arroz integral é rico em vitaminas do complexo B, que previnem o acúmulo de colesterol

Arroz integral é rico em vitaminas do complexo B, que previnem o acúmulo de colesterol Foto: jacqueline/Creative Commons

Um prato com uma medida de feijão para duas de arroz contém praticamente todos os nutrientes necessários para o nosso organismo. Se o arroz for integral, a lista de benefícios aumenta, pois ele ajuda na perda de peso, no combate ao envelhecimento precoce, na redução do colesterol e prevenção do diabetes, e estimula o metabolismo. E mais: uma pesquisa da Universidade Harvard publicada no início deste ano, feita com 110 mil pessoas, revelou que o consumo de grãos integrais - como é o caso do arroz - reduz em até 5% o risco de morte em geral e 9% o risco de doenças do coração.

 

A explicação para as vantagens pode ser resumida em dois elementos presentes no arroz, as fibras e as vitaminas do complexo B. "O arroz integral é rico em fibras, que melhoram o funcionamento intestinal, proporcionam sensação de saciedade e diminuem a absorção do açúcar pelo organismo, o que ajuda no emagrecimento e na prevenção de doenças", explica a nutricionista Marília Toledo, da Grings Alimentos Saudáveis. Já as vitaminas do complexo B, que no arroz são principalmente a B1, B2 e B3, são responsáveis por melhorar a função do sistema nervoso e dos músculos, por estimular o metabolismo, prevenir o envelhecimento da pele e diminuir o risco de colesterol.

 

No estudo da Universidade Harvard, os pesquisadores descobriram que o consumo de 28 gramas de grãos integrais por dia, sem a necessidade de estar relacionado a outros hábitos de vida saudáveis, ajuda a reduzir o risco do aparecimento de doenças do coração. "Por definição, o arroz integral é um grão integral, ao contrário do branco. Em nossas análises, o consumo de arroz branco foi associado ao aumento no risco de diabetes do tipo 2. O efeito do consumo da versão integral é exatamente o oposto", disse um dos autores da pesquisa, o professor Qi Sun, do Departamento de Nutrição de Harvard. Os benefícios observados são os mesmos para homens e mulheres.

 

Segundo a nutricionista Marília, o ideal é consumir quatro colheres de sopa de arroz integral todos os dias no almoço, e duas no jantar. Na hora de preparar, é bom evitar o excesso de óleo - a proporção ideal é uma xícara de arroz para uma colher de sopa de óleo - e sal, que pode ser substituído por temperos como alho, cebola, salsinha e pimenta. Uma dica para acelerar o cozimento deste tipo de arroz, que demora um pouco mais que o branco, é usar uma panela de pressão. E, antes que alguém torça o nariz e argumente que não dá para variar a receita, a nutricionista responde: tudo que pode ser feito com arroz branco também pode ser feito com arroz integral. Inclusive arroz doce. Confira a receita:

 

Arroz Doce Sem Lactose

 

Ingredientes:

2 xícaras (chá) de arroz integral cru, lavado e escorrido

8 xícaras (chá) de extrato de soja

3 xícaras (chá) de água

4 colheres (chá) de casca de limão ralada

2 e 1/2 xícaras (chá) de açúcar

1 colher (chá) de sal

Canela em pó

 

Modo de preparo:

Ferver as três xícaras de água e quatro xícaras de extrato de soja (leite de soja). Ao ferver, adicionar as duas xícaras de arroz previamente lavado e escorrido. No final do cozimento, juntar o restante do extrato de soja, o açúcar, o sal e as raspas de limão. Quando o arroz estiver bem cozido, retirar do fogo, transferir para um recipiente e salpicar canela em pó.

Servir morno ou gelado.

Mais um cofundador do The Pirate Bay deixa a prisão

Fredik Neij é o segundo dos três fundadores condenados a deixar a prisão na Suécia

REUTERS
Os fundadores Fredik Neij, à esquerda; ao lado de Gottfrid Svartholm (ainda preso) e Peter Sunde

Mais um dos membros fundadores do The Pirate Bay concluiu sua pena na prisão e se encontra em liberdade. Fredik Neij foi detido em novembro do ano passado por autoridades na Tailândia e transferido para a Suécia, onde foi mantido preso, em Skänninge.

O programador de 37 anos cumpriu dois terços da sentença e foi libertado. Fredik Neij tem esposa e filhos em Laos, país do sudeste asiático, para onde deve retornar.

Neij foi condenado em 2012 após anos de briga judicial acusado de desrespeito à lei de direitos de propriedade intelectual, ao lado de Gottfrid Svartholm Warg e Peter Sunde, também fundadores do site.

Warg obteve a condenação mais longa, de três anos e meio. Peter Sunde, preso no ano passado, foi libertado em novembro e veio ao Brasil em abril para um evento sobre criptografia e privacidade.

Ao site TorrentFreak, um membro da família de Neij enviou fotos do operador do Pirate Bay.

REPRODUÇÃO/TORRENTFREAK/ARQUIVO PESSOAL

 

Saga

Um documentário lançado em 2013 conta a história dos fundadores do site de torrent (tipo de arquivo que transfere conteúdo entre duas partes, origem e destino, através do protocolo BitTorrent) mais popular da história, usado para download de filmes, músicas e softwares, normalmente protegidos por direitos autorais.

A saga de Gottfrid Svartholm, Fredrik Neij and Peter Sunde, dirigida por Simon Klose, conta com muita tensão em tribunais, brigas, esconderijos e piadinhas. No pano de fundo, a crença de que a cultura deve ser compartilhada e acessível.

Mais um cofundador do The Pirate Bay deixa a prisão

Fredik Neij é o segundo dos três fundadores condenados a deixar a prisão na Suécia

REUTERS
Os fundadores Fredik Neij, à esquerda; ao lado de Gottfrid Svartholm (ainda preso) e Peter Sunde

Mais um dos membros fundadores do The Pirate Bay concluiu sua pena na prisão e se encontra em liberdade. Fredik Neij foi detido em novembro do ano passado por autoridades na Tailândia e transferido para a Suécia, onde foi mantido preso, em Skänninge.

O programador de 37 anos cumpriu dois terços da sentença e foi libertado. Fredik Neij tem esposa e filhos em Laos, país do sudeste asiático, para onde deve retornar.

Neij foi condenado em 2012 após anos de briga judicial acusado de desrespeito à lei de direitos de propriedade intelectual, ao lado de Gottfrid Svartholm Warg e Peter Sunde, também fundadores do site.

Warg obteve a condenação mais longa, de três anos e meio. Peter Sunde, preso no ano passado, foi libertado em novembro e veio ao Brasil em abril para um evento sobre criptografia e privacidade.

Ao site TorrentFreak, um membro da família de Neij enviou fotos do operador do Pirate Bay.

REPRODUÇÃO/TORRENTFREAK/ARQUIVO PESSOAL

 

Saga

Um documentário lançado em 2013 conta a história dos fundadores do site de torrent (tipo de arquivo que transfere conteúdo entre duas partes, origem e destino, através do protocolo BitTorrent) mais popular da história, usado para download de filmes, músicas e softwares, normalmente protegidos por direitos autorais.

A saga de Gottfrid Svartholm, Fredrik Neij and Peter Sunde, dirigida por Simon Klose, conta com muita tensão em tribunais, brigas, esconderijos e piadinhas. No pano de fundo, a crença de que a cultura deve ser compartilhada e acessível.