Lasers: segurança e eficácia no tratamento estético

Felipe Neves - O Estado de S.Paulo

Alguns aparelhos de ponta estimulam, por exemplo, a produção do colágeno; além disso, retiram manchas, cicatrizes e estrias

Variando do mais simples creme rejuvenescedor ao mais intenso tratamento, o leque dos cuidados com a estética é diverso e bem servido de alternativas. Nesse campo, uma ferramenta ganha espaço e quebra preconceitos com resultados cada vez mais eficazes e impressionantes. São os lasers, feixes de luz utilizados para penetrar a pele e reestrurar o agrupamento das células com os mais diferentes fins.

Gastos com tratamentos estéticos também estão entre os menos cortados, com 6,4% das menções

Gastos com tratamentos estéticos também estão entre os menos cortados, com 6,4% das menções Foto: Shinagawa PH/Creative Commons

Alguns aparelhos de ponta estimulam, por exemplo, a produção do colágeno. Além disso, retiram manchas, cicatrizes e estrias. "Com um tempo de aquecimento maior você trabalha até as gorduras mais concentradas. Dependendo do aparelho, pode-se abrir um leque infindável de aplicações", explica Shirlei Borelli, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, em entrevista ao programa Rota Saudável, da Rádio Estadão.

O tratamento à base de laser é cada vez mais seguro. Hoje, a tecnologia conhecida como "fracionada", por exemplo, permite que os feixes de luz incidam somente em pontos específicos do local a ser tratado, preservando o restante da pele de efeitos colaterais.

"A partir dessa área ocorre a regeneração da pele agredida pelo laser, vindo um colágeno novo. Não há cicatrizes ou danos de pigmentação. Você pode utilizar desde processos simples até aqueles um pouco mais agressivos, onde o rejuvenescimento será maior", diz Shirlei.

A tecnologia também apresenta soluções para a intimidade das mulheres. Um tratamento ginecológico oferecido no Brasil há cerca de três anos é feito por meio de laser. O feixe de luz que é inserido na região vaginal e intravaginal age na pele absorvendo água das células e formando um novo colágeno. Segundo a dermatologista Shirlei Borelli, esse método permite a redução de contrações pélvicas e da incontinência urinária, além de estimular o desejo sexual, melhorando a autoestima da mulher.

O tratamento ainda oferece praticidade e segurança. “É uma intervenção mais simples, não invasiva, não cirúrgica, para pessoas que não podem se submeter a um procedimento que as deixará paradas durante um tempo. O laser não tem resguardo nenhum. Depois de dois dias a atividade sexual pode ser reestabelecida. Os resultados são muito bons”, destaca Shirlei.

Os lasers podem ser soluções viáveis para ajudar no tratamento das principais causas que levam pacientes ao dermatologista, geralmente motivados pela necessidade de rejuvenescimento após se depararem com rugas e marcas de movimento, os chamados pés de galinha.

Shirlei, no entanto, recomenda a melhor forma de preservar a pele dos danos causados pelo tempo sem precisar recorrer a tratamentos mais aprofundados. "No meu entender, o que garante essa pele saudável é o cuidado e a busca por ele também passa por não nos atentarmos tanto aos padrões de mídia, que sempre exigem rostos mais novos e bonitos. O equilíbrio é que é importante."