Jantar engorda? Saiba mitos e verdades sobre o assunto

João Abel* - O Estado de S. Paulo

Balancear alimentação na refeição noturna é importante, mas sem cometer exageros

Equilíbrio entre jantar e sono pode ser importante na hora de perder alguns quilos

Equilíbrio entre jantar e sono pode ser importante na hora de perder alguns quilos Foto: Pixabay/@cattalin

Para quem quer perder peso, o jantar é um ponto-chave na hora de cortar calorias. Mas será que ele é realmente a refeição que mais engorda? Segundo a nutricionista Amanda Gerbasi, isso não é verdade.

“É um mito. O que pode engordar é a qualidade do jantar. Muitas pessoas não têm o hábito de realizar jantares leves, de fácil digestão. Consomem alimentos gordurosos, ricos em carboidratos refinados e gorduras ruins, como pizza, lanches”, explica.

Apesar de não diferenciá-lo das outras refeições, a especialista confirma que o jantar é um fator importante para quem quer perder peso. A combinação de pratos extremamente calóricos com o período noturno pode ser perigosa.

“No final do dia temos quedas de alguns hormônios que realmente não nos ajudam a metabolizar muito carboidrato”, diz Gerbasi. “Então, cortar um pouco de carboidrato à noite pode ser uma das estratégias para auxiliar na perda de peso. Mas não é uma regra. É preciso avaliar caso a caso”, pondera.

Para pessoas que treinam ou trabalham no período da noite, por exemplo, a dieta precisa ser repensada de acordo com a rotina diária. Nestes casos, elas podem precisar de porções iguais ou até maiores do que as consumidas durante o almoço.

O que comer no jantar? Entre os alimentos ideais estão proteínas magras, como peito de frango ou peru, legumes, vegetais e produtos ricos em vitamina B, como banana, abacate, aveia, gérmen de trigo, além de oleaginosas, como nozes e amendoim.

Para quem está realmente empenhado em perder peso, uma boa aposta é o cromo, um mineral que ajuda a controlar aquela vontade de comer carboidratos e doces, uma das maiores tentações após o jantar. É possível encontrá-lo em cereais integrais, maçãs, brócolis e até mesmo no vinho.

"Massas brancas, farináceos, doces e produtos industrializados devem ser evitados", alerta a nutricionista Sinara Menezes, da Nature Center.

Peso x sono. As especialistas ainda ressaltam que o sono pode influenciar no balanço energético do corpo e, consequentemente, na variação de peso.

“A maioria das pessoas costuma diminuir o nível de atividades no fim do dia, então deve-se também diminuir a quantidade de alimentos no prato, principalmente na hora de dormir”, avalia Menezes.

O momento ideal para fazer a última refeição do dia, de acordo com as especialistas, é por volta de duas horas antes de ir para a cama.

O essencial é não deixar de comer à noite em nenhuma hipótese. “Se você não jantar, por exemplo, pode ter muita fome perto do horário de dormir ou acordar no meio da madrugada com momentos de compulsão e isso atrapalha o metabolismo”, finaliza Gerbasi.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais